Arquivos do Blog

5 coisas que você precisa saber sobre carboidratos

Quando o assunto é perder peso ou melhorar a qualidade daquilo que se come no dia a dia, um ingrediente nunca fica fora da discussão: o carboidrato. É comum ouvirmos que dietas exclusivamente proteicas são as que mais trazem resultados, mas será que o carboidrato é realmente um item que deve ser excluído da nossa alimentação? O Mother Nature Network resolveu abordar o assunto e esclarecer algumas dúvidas a respeito de um dos principais componentes do nosso prato. Confira:

1 – O que é?

Carboidratos são compostos alimentares presentes em uma série de alimentos considerados não muito saudáveis, mas em alimentos considerados saudáveis também. Grãos, de um modo geral, leite, batata, bolos, biscoitos, massas e tortas são alimentos ricos em carboidratos.

2 – Os tipos

Carboidratos podem ser apresentados em três formas: açúcar, amido e fibra.

Açúcar: encontrado naturalmente em frutas, vegetais e leite, o açúcar é frequentemente adicionado ao preparo de alimentos doces industrializados, como biscoitos e afins. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, uma pessoa adulta deve consumir no máximo 50 gramas de açúcar por dia – só para comparar: uma lata de refrigerante contém cerca de 40 gramas de açúcar, então você já deve imaginar que, na verdade, consumimos bem mais do que a quantidade recomendada.

Amido: Batata e milho são dois alimentos naturalmente ricos em amido, que também pode ser encontrado em grãos como feijão, ervilha e lentilha.

Fibra: Um dos itens responsáveis pelo funcionamento intestinal e pela sensação de saciedade é encontrado em vegetais, frutas, castanhas, grãos integrais e cereais.

3 – Simples ou complexo?

Agora que você já sabe que os carboidratos são divididos em três categorias, está na hora de conhecer a diferença fundamental na hora de classificar carboidratos que fazem bem e aqueles que, no final das contas, se transformam em calorias vazias (isso ocorre quando o alimento tem alto teor calórico, o que contribui para o ganho de peso, mas baixo ou nenhum valor nutricional).

Os carboidratos simples são aqueles produzidos à base de um ou dois tipos de açúcares. Como têm uma estrutura química simples, assim que você os ingere, seu corpo os processa rapidamente e faz tudo virar energia. Isso significa que esse tipo de alimento se transforma em açúcar, é absorvido rapidamente e, por causa disso, vai deixar você com fome mais cedo.

Se a ideia é perder peso e diminuir sua taxa de glicose no sangue, evite consumir massas brancas, doces, bolos e refrigerantes. No caso das frutas, que também fazem parte dos carboidratos simples, fique tranquilo: porque são ricas em fibras, isso acaba compensando o açúcar – e vale lembrar também que o açúcar de uma banana, por exemplo, é natural e saudável, diferente do açúcar de um pedaço de bolo cheio de cobertura.

Já os carboidratos complexos são formados por estruturas químicas mais elaboradas, combinando pelo menos três tipos de açúcares. Exatamente por isso, são digeridos mais lentamente pelo nosso corpo, impactando bem menos os níveis de açúcar na corrente sanguínea e nos dando uma sensação de saciedade que dura mais tempo – além do mais, esses carboidratos deixam seu corpo com a sensação de energia em alta. São encontrados em alimentos integrais, cereais, vegetais e grãos.

4 – Qual a quantidade ideal de carboidrato para uma pessoa?

A necessidade diária depende do estilo de vida de cada pessoa, e você pode descobrir a quantidade ideal para você com a ajuda de um nutricionista. De qualquer forma, a recomendação média segundo as Orientações Dietéticas para Americanos é a de que adultos tenham entre 45 e 65% de sua dieta diária formada por carboidratos.

A diferença entre uma dieta saudável e uma ruim se dá justamente pela escolha desses carboidratos. Sabemos, por exemplo, que mulheres devem consumir 25 gramas de fibras por dia, enquanto os homens devem consumir 38 gramas desse mesmo tipo de carboidrato. Como sabemos que fibras estão em frutas, grãos e alimentos integrais, facilmente deduzimos que pessoas que não consomem esses três itens regularmente estão possivelmente ingerindo maiores quantidades de carboidratos “do mal”.

Isso é um problema, afinal as fibras são consideradas os carboidratos mais saudáveis e que mais trazem benefícios de curto e longo prazo. Quando seu intestino funciona bem e regularmente, você absorve nutrientes do jeito certo, a pele fica melhor e você fica longe do pesadelo vivido por pessoas que sofrem com prisão de ventre. Há estudos indicando que uma dieta rica em fibras reduz os riscos de o paciente desenvolver doenças de coração, obesidade e diabetes tipo 2.

5 – Quer mudar a qualidade da sua alimentação? A gente ajuda!

Basicamente, se você optar por consumir massas e grãos integrais, já terá benefícios visíveis em seu corpo depois de algumas semanas. Uma salada com vegetais e proteína é uma escolha mil vezes melhor do que uma porção de batata frita, por exemplo.

Aliás, quando for consumir produtos ricos em amido, como é o caso da batata, escolha porções pequenas e prefira as versões cozidas ou assadas. A combinação de amido com gordura não é muito boa. Depois do almoço, quando sentir aquela vontade de comer alguma coisa doce, opte por uma fruta, e deixe as sobremesas com chocolate e cremes para o final de semana.

Se você não está acostumado a comer frutas, legumes, verduras e alimentos integrais, fique tranquilo. Para criar um novo hábito alimentar, você vai precisar de um pouquinho de paciência, e, depois de alguns dias, talvez aprenda a saborear o açúcar de uma tangerina, por exemplo, com o mesmo prazer com que comia um pedaço de bolo.

Se você consome muito leite, queijo, iogurte e laticínios em geral, fique atento aos rótulos das embalagens – eles indicam a quantidade de carboidratos. De qualquer forma, as versões light são as mais recomendadas.

Bônus

Sabia que um estudo recente descobriu que o cérebro humano evoluiu também graças aos carboidratos presentes em nossa alimentação? Os cientistas afirmam que o amido, em específico, parece ter contribuído para o desenvolvimento e o crescimento do nosso cérebro. Obrigada, batatas!

Seis alimentos que ajudam a controlar a vontade de comer

Se não consegue segurar o desejo por comida, sua alimentação pode estar carente de vitaminas, minerais e ômega-3. Os itens a seguir são ricos nessas substâncias e vão ajudá-la a continuar seguindo a dieta.

Seis alimentos que ajudam a controlar a vontade de comer

A maçã é um dos seis alimentos que ajudam a controlar a vontade de comer.

Algumas vitaminas (especialmente a B12), minerais, como o selênio e o manganês, e ômega-3 atuam, direta ou indiretamente, na regulação dos neurotransmissores responsáveis pela saciedade e pela sensação de bem-estar. É por isso que dietas muito restritivas podem provocar ansiedade, que está relacionada ao desejo incontrolável por comida. Luciana Harfenist, nutricionista do Rio de Janeiro, indica alimentos saudáveis que ajudam a controlar a compulsão.

1. Amêndoas sem sal

É fonte de selênio, mineral que colabora com a produção dos neurotransmissores relacionados à saciedade.

2. Maçã

Traz vitaminas do complexo B, importante para a formação da serotonina, responsável pela sensação de bem-estar.

3. Suco de romã

É rico em selênio e manganês, minerais que reforçam as defesas do cérebro, mais vulnerável ao ataque dos radicais livres, e ácido málico, que diminui a vontade de comer doce.

4. Ovo

Além de fornecer proteína, que dá saciedade, contém colina, que forma as membranas das células, incluindo as do sistema nervoso.

5. Salmão

Fonte de ômega-3, ácido graxo que colabora com a redução da ansiedade e promove o bom humor.

6. Espinafre

Centrifugado, libera substâncias que atuam nos hormônios que controlam a fome, indicou um estudo recente.

 

Fonte: M de Mulher

Retenção de líquidos: elimine inchaço através dos alimentos

inchaco-espinafre

Você está quieta no seu canto, sem comer nada. E, ainda sim, sente-se inchada? A culpa pode estar na retenção de líquidos. São muitos os fatores que a provocam, entre eles nossa própria alimentação. E é por aí que vamos começar a aliviar este peso extra.

O inchaço pode ter várias origens: excesso de peso, sedentarismo, má alimentação e o acúmulo de substâncias tóxicas no organismo. A retenção de líquidos acontece pelo extravasamento de um fluido pobre em proteínas do sangue, que sai dos vasos sanguíneos em direção aos tecidos subcutâneos e tem dificuldade de ser eliminado.

Quanto à alimentação, a causa pode estar no consumo de sal em excesso – na maior parte das vezes, “escondido” nos alimentos processados, como enlatados; e nas comidas prontas, como congelados.

Como diminuir os efeitos do sódio
Para amenizar os efeitos do sódio, a minha dica é simples. E perfeita para estes dias mais quentes. O antídoto são folhas verdes nas saladas. Ricas em potássio, sua presença decora o prato, aporta fitonutrientes e combate a retenção de líquidos.

Na hora de fazer a feira, aposte em alface, espinafre, rúcula e agrião. Pepino e aspargos também são excelentes diuréticos, pois têm 90% de água e ajudam na missão de equilibrar nossa saúde.

Consumir sucos detox também ajuda – e muito.

Fonte: Lucilia Diniz

 

Dicas para manter a saúde e a dieta em dia mesmo no frio

Exercícios-físicos-no-inverno1

É só chegar o inverno que as pessoas começam a comer mais, Nesta época gasta-se um pouco mais de energia para manter a temperatura do corpo e fornecer energia aos tremores que surgem (movimentação do músculo esquelético, como se fosse um exercício), porém, esse aumento do gasto não é tão grande assim, afinal, o Brasil é um país tropical, então, é inevitável os indivíduos ganharem peso por abusarem da comida gordurosa e pesada.

Se todos conseguissem manter o padrão da dieta como se fosse verão, perderiam um pouco de gordura corporal, resultando numa eliminação de peso significativa durante todos os meses de inverno, porém, isso é difícil de acontecer, pois as pessoas deixam de lado os alimentos frescos, leves e refrescantes para consumir os mais pesados.

Então, o primeiro passo é trabalhar a mente, focando no objetivo de manter e/ou reduzir seu peso, pois isso evitará a compulsão alimentar. Após estabelecer seu foco, tente aplicar as dicas abaixo:

Mantenha o consumo de lanches naturais.
Para manter os lanches atrativos no inverno, esquente-os.

Cuidado com os doces.
Tente driblar o consumo deles consumindo doces diet, light ou chocolate amargo.

Cautela com o que come no jantar.
É preciso tomar cuidado com os alimentos ingeridos à noite, para não dificultar sua digestão e desacelerar o metabolismo.

Pratique exercícios.
Esqueça a ideia de sair da academia ou abandonar os treinos no inverno!

Fique atento ao fracionamento das refeições.
A regra de comer de 3 em 3 horas continua valendo.

Evite ter guloseimas em casa.
Evite comprar guloseimas e deixar em casa, afinal, você pode morrer de vontade, mas se não tiver em casa, dificilmente você sairá para comprar.

 

Fonte: Catraca Livre

Aponte esse scanner pra sua comida e ele dirá quantas calorias possui

Alimentação saudável é uma tema recorrente em nosso cotidiano. Dietas e mais dietas surgem a todo momento para nos ajudar a perder peso, o que muitas vezes não acontece. Uma das grandes causas é a falta de conhecimento sobre o que podemos comer, ou simplesmente saber quantas calorias tem o alimento que vamos consumir na hora do almoço, por exemplo, com o prato na sua frente.

Pra suprir essa necessidade de sabermos exatamente o que estamos comendo, e de forma fácil e intuitiva, a empreendedora Isabel Hoffman e o professor de matemática Stephen Watson desenvolveram o TellSpec, um aparelho scanner em que basta você apontá-lo para a comida (mesmo se estiver em embalagem de plástico e vidro) e esperar um bipe. O aparelho então analisa os resultados usando um algoritmo e envia um relatório para seu smartphone dizendo que alérgenos, substâncias químicas, nutrientes, calorias e ingredientes estão na comida – simples assim, e tudo isso em segundos.

A ideia surgiu por conta da filha de Isabel, que tem intolerância a glúten, e elas precisavam checar e averiguar se o alimento tinha ou não glúten, não apenas no supermercado. E o mais interessante é que o resultado vai além dos rótulos do produto, pois tem uma explicação para cada ingrediente detectado, o que facilita a  vida de nós leigos, que não sabemos o que é tartrazina, por exemplo.

20130920172403-Goup1_updated

20130920172304-2.bread_

20130920172138-1.cornchip

20130920172014-640x480

20130920171528-3.Truffle_640x480

Como ele detecta todos os ingredientes?

A luz é feita de partículas chamadas fótons. Quando o feixe de laser de baixa potência ‘scanneia’ a comida, alguns dos fotões são absorvidos, elevando os estados de energia das moléculas no alimento. Fótons de energia mais baixos são, então, refletidos de volta. O espectrômetro dentro do TellSpec scanneia esses vários tipos de fótons e os contabiliza. Os números resultantes, denominado espectro, descrevem os compostos químicos nos alimentos.

20130920172918-WithoutLogo_2

Este espectro é carregado para um motor de análise, onde são analisadas e correlacionadas com outros espectros de referência. Informações sobre os alérgenos, substâncias químicas, nutrientes, calorias e ingredientes nos alimentos são então transferidas para você e exibidas em seu smartphone.

20130920173052-5Process

O produto é revolucionário, e está em um site de crowdfunding para ser produzido, clique aqui para acessá-lo. Veja o vídeo feito para angariar os valores:

Faltam menos de 20 dias para finalizar o financiamento, e o valor já foi atingido, o produto entrará no mercado em cerca de 2 anos, a um valor inicial aproximado de 150 dólares.

 

Fonte: Hypeness

%d blogueiros gostam disto: