Arquivos do Blog

Homem dá banho em cachorros de rua na Tailândia

Em um vilarejo na Tailândia, um homem tem chamado a atenção por levar uma mangueira, balde e sabão às ruas e dar banho em cachorros abandonados. O tailandês já havia adotado uma cadela que sofria de câncer e uma série de outras doenças.

Reprodução

A gente sabe que os cães não curtem muito tomar banho, mas, para os bichinhos sem lar, essa é uma maneira de controlar pulgas e outros problemas. Todo ato de gentileza é sempre bem-vindo. Confira o vídeo:

Fonte: Catraca Livre

Alguns cachorros parecem com seus donos: Mito ou realidade?

cachorro que se parece com dono

O cachorro é considerado o melhor amigo do homem, mas será que essa proximidade faz com que eles fiquem parecidos conosco? Essa é uma eterna e peculiar, diga-se de passagem, dúvida. Pelo menos para os donos de cachorros.

Em um estudo feito em 2004, pesquisadores de São Diego constataram que pessoas geralmente escolhem cachorros parecidos com elas, ainda mais quando são cães de raça. A semelhança geralmente é vista em traços como o cabelo ou até mesmo expressões faciais.

No mesmo ano, uma psicóloga da Universidade da Carolina do Sul confrontou as descobertas em um estudo separado, apontando as falhas no projeto. Os pesquisadores de São Diego analisaram novamente e confirmaram as descobertas iniciais.

No começo deste ano, outro cientista da Inglaterra fez um estudo com 70 voluntários a fim de que eles combinassem fotos de 41 donos de cachorros de diversas raças. Segundo os voluntários, eles combinaram as fotos, em menos da metade do tempo, de acordo com traços da personalidade que acreditavam que o dono e o cachorro compartilhavam.

Cientistas suspeitam que algumas pessoas procuram por certos traços ou predisposições que reflitam em suas próprias personalidades quando escolhem um cachorro.

CONCLUSÃO

Alguns estudos afirmam que os cachorros podem se parecer com seus donos, mas a pesquisa discutível. [NY Times]

cachorro que se parece com dono

cachorro que se parece com dono

cachorro que se parece com dono

cachorro que se parece com dono

cachorro que se parece com dono

cachorro que se parece com dono

 

Fonte: Hype Science

Quando Cães Voam *-*

10 coisas que os donos fazem e os cachorros odeiam

Que seu cachorro pudesse falar é um desejo de todo tutor de um amigão desses. Mas você já pensou o que poderia ouvir se ele pudesse se expressar verbalmente sobre o banho, ou sobre o perfume depois do banho, ou ainda sobre quando você o trata como criança? Listamos aqui algumas atitudes que a maioria dos tutores de cães têm e que uma boa parte dos bichos simplesmente o-dei-a. Depois dela, vamos ver se você ainda vai querer que seu cachorro falasse…

 

10. Conversar com seu cachorro

tilt-head

Suponhamos que seu cão tenha feito xixi no sofá (maginaquêisso!). Você, bravo, tenta comunicar o erro a ele, mas sem agredi-lo – afinal, ele é seu amigo e você não quer magoá-lo. Então você começa um diálogo ponderado: “Rex, vamos conversar. Não gostei da sua atitude, cara. Esse sofá custou R$ 1.800, e isso é um salário inteiro”. Olha. Ele até vai te olhar com muito interesse, mas pode esquecer: a chance dele entender o papo reto é nenhuma. Cachorros não ligam a mínima para as palavras, o negócio deles são sons e linguagem corporal. Eles compreendem a intenção, mas jamais o português. Assim, a melhor forma de demonstrar o que você quer é com gestos e com uma boa postura. Falar com o cão sem demonstrar isso com o corpo pode confundir o animal – que depois vai levar uma bronca sem ter a menor ideia do que está acontecendo.

 

9. Gritar toda vez que ele late

dog-uivo

Outro dia, eu estava passeando com meu cão, o Otelo, que estava preso na coleira. Duas crianças passaram correndo e gritando perto de nós, e Otelo latiu. As crianças tomaram um susto, o avô (chato) delas disse que meu cachorro é “histérico” e eu fiquei morta de vergonha. Mas, ei! Otelo é um cachorro e, da mesma forma que as crianças gritam, ele late. É a forma que ele tem de expressar ao mundo algumas de suas vontades – nesse caso, se bem conheço meu cão, vontade de correr e brincar com as crianças choronas. Portanto, seja mais tolerante com os latidos do seu cão (basta lembrar quanto ele deve ficar de saco cheio de ouvir você e os demais humanos falarem, e ele não reclama disso).

 

8. Transmitir nervosismo

cattr

Os cães sempre elegem um líder para o seu bando. O ideal é que esse líder seja você. Caso você se demonstre instável – nervoso, estressado, incapaz de exercer sua liderança -, ele sentirá que deve assumir esse papel. Por isso, sempre que estiver na companhia de seu cão, tente não demonstrar tensão nem nervosismo (lembrando que eles são mesmo muito bons na leitura corporal, então é legal você caprichar nisso), ou ele poderá ficar agitado e até agressivo.

 

7. Tratar o cão feito criança

dpggg

Coisa mais fácil é encontrar gente que trata o amigo de baba e pelos como um bebê – afinal, com tanta fofura, só pode ser um bebê! E aí o tutor dessa fofura coloca roupinhas, calça sapatinhos, enfeita o cão com joias (tudo pet friendly, viu?). Pois saiba que o cachorro provavelmente ODEIA isso. Cães são cães e gostam de ser tratados como tal. Assim, ele vai querer correr (sem sapatos), perseguir coisas e farejar. É claro que você pode mostrar afeto ao seu bicho. Mas o guru dos petlovers, o treinador Cesar Milan, não se cansa de repetir: primeiro vem o exercício, depois, a disciplina disciplina, e, então, carinho.

 

6. Achar que o cão é “gente como a gente”

dog-tra

Nós, humanos, achamos a subserviência uma coisa muito ruim, até intolerável. Ser dominado por uma outra pessoa é o pior cenário de vida que se pode imaginar. Mas com os cães funciona exatamente do jeito oposto. Naturalmente, eles gostam de saber bem claramente quem é o líder do bando (no caso, você). Assim, ao adotar um amigo canino, você deve se preparar para assumir integralmente o papel de “cachorro alfa da matilha”. Só desse jeito seu cão vai se sentir seguro – do contrário, ele vai começar a se estressar por não saber bem como se comportar naquele bando.

Leia também:
Como os animais realmente enxergam o mundo
Cachorros – por que eles viraram gente?
Ciência Maluca: Por que cachorros fazem cara de dó?
Teste: que raça de cachorro combina mais com você?

5. Deixar seu cão morrer de tédio

dog-sl

Pense em como seria a sua vida se você passasse o dia inteiro deitado em uma cama, ou perambulando sem destino pela casa, sem TV, sem smartphone, sem um livro, sem ninguém para conversar, sem nenhum tipo de jogo e nenhuma atividade. Pode até parecer divertido por um dia ou dois, mas imagine passar A VIDA desse jeito? Se você não der atividades para o seu cão, é assim que ele vai se sentir, no mais profundo e desesperançoso tédio. A falta de atividades pode levar o cão a ficar ansioso e começar a ter comportamentos ruins, como se coçar demais, até ter feridas, morder as próprias patas, roer coisas (inclusive móveis) e entrar em depressão.

 

4. Abraçar

putin-dog

Mais uma diferença brutal entre o comportamento de cães e humanos. Você adora receber abraços das pessoas amadas. Essa é uma forma de nos sentirmos queridos, correto? No caso do seu amigo cão, o abraço é um sinal de ameaça. Significa que você está querendo dominá-lo à força. Alguns cães até toleram ser abraçados, enquanto outros ficam bastante agressivos. De toda forma, preste atenção no bicho. Alguns demonstram sinais claros de desconforto, como afastar a cabeça de você. Eu sei, é duro. Mas vamos trabalhar esse ponto, ok?

 

3. Ficar no celular/computador

celular-cao

Você passa o dia inteiro fora de casa, trabalhando. Durante 9, 10 ou até 11 horas que você está fora de casa, seu cão fica sozinho em casa, muitas vezes, sem nada para distraí-lo nem fazê-lo gastar energia. Aí, vem o momento mais feliz do dia para ele: a hora em que você chega em casa. Você entra, faz um carinho na cabeça dele, troca a água, coloca a comida dele na tigela, senta no sofá e se perde entre as várias listas com coisas divertidas da SUPER. Aí não, né, pô! Seu cão passou o dia inteiro sozinho, só esperando você chegar. Ele merece, no mínimo, um pouco de atenção – o que inclui brincadeiras, desafios e, sempre que possível, passeios.

 

2. Ter pressa na hora do passeio

d

Falando em passeios, como vai essa paciência, hein? Sair com um cachorro significa parar a cada meio metro para que ele possa cheirar as coisas, explorar o mundo, descobrir os novos vizinhos e se inteirar das novidades do bairro. E eles odeiam qualquer passeio que seja diferente disso. Dar aquela voltinha burocrática, sem xixi no hidrante (e na esquina, e no meio-fio, na roda do carro, na árvore, no arbusto, na moitinha, no jardim, no portão etc etc etc), sem poder cheirar o xixi do colega, para o seu cão, é como ir a Roma e não ver o Papa.

 

1. Deixá-lo cheiroso

dooooog

Já pensou que, se estivesse solto na natureza, um cão JAMAIS tomaria um banho? Ele poderia, sim, se molhar com a chuva, se melecar em uma poça de lama, atravessar um riacho e até entrar nele, mas tomar banho, tipo, xampu, esfrega-esfrega, condicionador e perfuminho no final, nunca! Ele sempre estaria sujinho e com aquele cheirinho característico de pano de chão molhadocachorro. Não é de se estranhar se seu amigão for aquele tipo meio Cascão, que foge da água que nem o diabo foge da cruz. Além disso, o olfato dos cães é muito, muito, muito apurado, e isso faz eles ficarem extremamente incomodados com o cheiro do perfume que você passa nele.

 

Lembre-se: assim como qualquer treinador vai dizer, cada cão é diferente. Além das peculiaridades de cada raça, há também as variações de personalidade de um bicho para o outro. Então, se o seu adora tomar banho ou detesta passeios longos, ele está mais para exceção do que para a regra.

 

Fonte: Superinteressante

Por que os cães têm bigodes?

bigode-cachorro-01

Eles podem existir em bastante ou em menor quantidade e volume, dependendo da raça. Mas, em todos os cães, os bigodinhos são extremamente importantes para a vida deles. É tudo uma questão de sentidos, que são completamente aguçados nessa parte dos animais devido aos bigodes.

Além do faro, que já é o outro sentido mais utilizado pelos cães para perceber as mais diversas características de um ambiente ou de outro animal, os peludos têm ainda a ajuda dos bigodes, também chamados de vibrissas. Eles são os fios longos e grossos que saem dos focinhos, mandíbulas e acima dos olhos dos cães.

Os folículos que existem na base desses pelos são repletos de terminações nervosas sensoriais que enviam mensagens para o cérebro dos bichinhos. Altamente sensíveis a mudanças sutis em correntes de ar, os bigodes caninos servem como receptores para informações importantes sobre o tamanho, a forma e a velocidade de objetos próximos.

Isso ajuda muito aos cães — nos quais a visão não é a característica mais evoluída — a perceberem os objetos (ou pessoas e outros animais) de forma mais clara, mesmo no escuro. Além disso, ser capaz de sentir vibrações no ar também ajuda os cães a sentir perigos que se aproximam.

Sensações e táticas

Algumas raças de cães também têm sido conhecidas por usar os seus bigodes da mesma forma que muitos pequenos mamíferos fazem: para determinar se eles podem ou não caber em espaços pequenos.

Embora poucos estudos tenham sido realizados para determinar se os cães também usam seus bigodes para localizar comida, é provável que, em um momento da história canina, este foi o caso, pois ratos, focas, morsas e muitos outros mamíferos noturnos ou aquáticos ainda usam as vibrissas para esta finalidade.

Além das vantagens táticas de bigodes, estes pelos faciais especiais também podem transmitir mensagens sobre como um cão está se sentindo. Quando um cão se sente ameaçado, ele vai muitas vezes reflexivamente eriçar os bigodes e apontá-los para frente.

Alguns cientistas acreditam que este comportamento indica que os bigodes fazem algum papel na estratégia de defesa de um canino durante situações de combate com os predadores e outros cães.

Apesar das vantagens aparentes de ter os bigodinhos, muitos donos de animais — especialmente aqueles que apresentam seus cães em competições — optam por arrancar, cortar ou remover cirurgicamente essas ferramentas sensoriais vitais, o que é extremamente cruel e desnecessário. Muitas evidências sugerem que fazer isso com um cão pode levar a confusão e diminuição da percepção espacial.

 

Fonte: Mega Curioso

10 Sintomas comuns de doenças em cães

Como os cachorros não conseguem falar, é importante ficar atento a qualquer sinal de doença.

dog

Os cachorros não sabem falar, mas geralmente percebemos quando tem algo de diferente com nosso companheiro de quatro patas. Entretanto, nem sempre damos a atenção necessária a qualquer mudança de comportamento do nosso cão.

Alguns sinais podem indicar que seu cachorro está doente, por isso é preciso ficar atento. Se o cão apresentar qualquer um desses sintomas, procure um veterinário:

1- Orelhas fedidas e com coceira – As orelhas dos cachorros nunca devem estar fedidas. Se sentir um cheiro ruim vindo das orelhas do seu cão e ele estiver coçando essa região excessivamente, pode significar diversos problemas. Pode ser simplesmente sujeira, nada que uma boa limpeza não resolva. Mas também pode ser um problema mais sério, como uma infecção.

2- Coceira no traseiro – Ver um cachorro arrastando o bumbum no chão e girando pode ser engraçado, mas na verdade significa que tem algo errado com suas glândulas anais. Todo cachorro tem duas pequenas glândulas anais, que podem ficar inflamadas. Se notar esse comportamento no seu cão, é bom leva-lo ao veterinário para verificar se está com algum problema.

3- Incontinência – Ocorre quando o cachorro perde o controle sobre sua bexiga ou intestino. É um sintoma que deve ser levado a sério, porque pode significar inúmeros problemas, somente um veterinário poderá descobrir do que se trata.

4- Mau hálito – Acredite, seu cachorro não deve ter bafo. O mau hálito em cachorros é causado por um acúmulo de bactérias na boca e no estômago. Também pode ser resultado de problemas nos dentes ou na gengiva. Se o mau hálito do seu cão persistir ou aparecer de repente, consulte um veterinário.

5- Tosse – Se seu cachorro apresentar uma tosse seca pode ser sinal de inflamação ou infecção na laringe ou traqueia.

6- Perda de peso excessiva – Se o peso do seu cachorro varia de tempos em tempos, não há motivo para preocupação. Mas leve ao veterinário se ele perder muito peso de repente, cerca de 10% de seu peso corporal.

7- Caroços ou inchaços – Se você sentir um caroço em seu cachorro não é preciso ficar desesperado. É comum cães desenvolverem nódulos benignos, mas para ter certeza só fazendo uma visita ao veterinário, porque também pode ser um sinal de câncer.

8- Coceira excessiva e perda de pelo – Assim como os humanos, os cães são suscetíveis a irritações na pele e alergias. Você pode notar seu cachorro se coçando mais durante algumas épocas do ano. Mas se ele coçar demais uma região e isso causar perda de pelo ou uma pequena inflamação, leve ao veterinário para limpar a região e tratar. Em alguns casos, o cão precisa usar o famoso cone para não piorar a situação.

9- Vômitos e diarreia – Quando um cachorro está vomitando ou com diarreia, podem ser inúmeros problemas. Em um caso mais simples, um ou dois dias de dieta restritiva pode resolver. Mas se persistir por mais tempo, consulte um veterinário.

10- Articulações inchadas e doloridas – A melhor maneira de perceber que seu cachorro está com problema nas articulações é se tiver dificuldades para levantar ou se estiver andando muito devagar. Pode ser alguma doença relacionado a cachorros idosos e descobrindo do que se trata, é possível aliviar essa dor.

É importante ressaltar que se o cachorro apresentar um desses sintomas não significa necessariamente que ele está doente, só um veterinário pode dar o diagnóstico correto. Mas não podemos descuidar da saúde de nosso bichinhos e, por isso, investigar um sinal nunca é demais.

 

Fonte: Portal do dog

 

10 cães e gatos que reinventaram a maneira de utilizar móveis para humanos

Confira como esses cães e gatos acharam novas maneiras de utilizar móveis comuns do nosso cotidiano:

10009699_10201694316095435_1512263573_n

animais-moveis-9

animais-moveis-8

animais-moveis-1

animais-moveis-2

animais-moveis-3

animais-moveis-4

animais-moveis-5

animais-moveis-10

animais-moveis-6

 

 

Fonte: Lista 10

Ensaio fotográfico mostra cães vestidos iguais aos seus donos

Underdogs_interna

Todos sabemos que o cão é o melhor amigo do homem. Mas até onde pode ir a amizade?

É nos cães que as pessoas encontram muitas vezes o conforto que não encontram nos humanos.

Então eles se tornam tão próximos – homens e bichos – que acabam se confundindo, e nós não sabemos mais se o cão é parecido com o dono ou se é o dono já parecido com o cão. Aqui eles estão vestidos iguais, em um ensaio íntimo e bastante divertido.

Underdogs7

Underdogs6

Underdogs5

Underdogs4

Underdogs3

Underdogs2

Underdogs1

 

%d blogueiros gostam disto: