Arquivo da categoria: Informação

Whoopi Goldberg lança linha de produtos com maconha para cólicas menstruais

Além de atriz, Whoopi Goldberg é conhecida pelo seu ativismo a favor dadescriminalização da maconha. Nesta quinta, dia 31, ela anunciou o lançamento de uma linha de produtos baseados na maconha para ajudar mulheres que sofrem de dores menstruais.

divulgaçãoA atriz, comediante, empresária e apresentadora de 60 anos disse, em entrevista ao jornal americano USA Today, que cólicas e dores na menstruação “não são brincadeira” e que sua linha de produtos não é para “quem quer ficar chapado”, mas sim para aliviar dores de um jeito calmante e relaxante.

“Fumar um baseado ajuda com a dor, mas você não pode trabalhar depois. Esse produto é para quem quer aliviar a dor sem problemas. Você pode carregar na bolsa e esfregar a loção na barriga e nas costas no trabalho, chegar em casa e colocar na banheira ou fazer chá, e esse tempo todo vai poder trabalhar sem problemas”, diz ela.

No começo, a linha só estará disponível na Califórnia, onde o consumo para uso médico é regulado. Os produtos são uma parceria de Whoppi com Maya Elisabeth, uma empresária defensora do uso médico da maconha.

produtos

Fonte: Catraca Livre

Anúncios

Os peixes bebem água?

peixes

Eles estão sempre no mar. E, apesar da crença popular, os peixes não bebem necessariamente água. Eles apenas usam o líquido para fins particulares.

O termo beber não é o que se aplica da melhor maneira na situação, já que um peixe ingere água apenas para respirar e para fazer trocar gasosas com o ambiente externo.

Um peixe vive com uma constante troca de água com o ambiente que vive, pois ele precisa de um equilíbrio entre a quantidade de sais presentes no próprio organismo e no ambiente que vive.

peixes-bob-esponja

Nos peixes de água doce, existe uma maior concentração de sais no organismo do que no ambiente. Por isso, eles não precisam necessariamente “beber” uma grande quantidade de água por dia.

Já nos peixes de água salgada, a concentração de sais é maior no ambiente do que no organismo dos animais. Com isso, o oceano faz a água “sair” do organismo destes peixes, fazendo com que peixes de água salgada “bebam” uma grande quantidade de água por dia para manterem suas atividades.

Ambos os processos são conhecidos como osmose.

E como isso acontece?

A respiração dos peixes faz com que a água chegue até as brânquias do animal para acontecerem trocas gasosas. Isso faz com que o oxigênio seja absorvido e que o gás carbônico seja eliminado.

 

Fonte: Mistérios do Mundo 

Beber refrigerante envelhece tanto quanto fumar, diz estudo

Beber refrigerante envelhece tanto quanto fumar, diz estudo

Beber refrigerantes ricos em açúcar diariamente pode acelerar o envelhecimento tanto quanto fumar, diz um novo estudo publicado no American Journal of Public Health.

Cientistas da Universidade da Califórnia em São Francisco descobriram que o consumo desse tipo de bebida aumenta a velocidade com a qual as células envelhecem. A pesquisa mostrou que indivíduos que bebiam o equivalente a duas latas de refrigerante de cola por dia tiveram mudanças no DNA que tornaram as células 4,6 anos mais velhas do que realmente eram.

A análise de milhares de amostras de DNA mostrou que pessoas que ingerem a bebida regularmente apresentam telômeros mais curtos do que as que não têm esse hábito. Essas estruturas, encontradas nas extremidades dos cromossomos, protegem o material genético e são um indicador de saúde. Telômeros mais curtos do que a média são vistos como um sinal de doenças e morte prematura.

À medida que o envelhecimento avança, os telômeros ficam cada vez mais curtos, o que danifica o DNA e eleva as chances de doenças relacionadas à idade, como Alzheimer, diabetes e doenças cardíacas. As informações são da revista Time e do jornal Daily Mail.

Fonte: Extra

Nasa flagra algo saindo de buraco negro pela primeira vez na História

  

Buracos negros são extremamente intrigantes para a humanidade — sejam leigos ou especialistas. As formações sempre intrigaram a humanidade no sentido do que podem fazer, sempre com teorias que dizem respeita a “passagens” entre dimensões por meio deles.

E, agora, a curiosidade humana ganha mais um capítulo: pela primeira vez na história a Nasa avistou algo saindo de um buraco negro. Não se sabe o que é  e nem os efeitos dessa movimentação, mas a exploração em torno do buraco-negro superlativo Margarina 335 já chama atenção.

O flagra feito pela agência espacial norte-americana aconteceu através do conjunto do telescópio espectroscópico nuclear da Nasa. O momento foi considerado por muitos especialistas que trabalham no projeto como um verdadeiro milagre, já que nunca havia acontecido tal registro.

  

“Essa é a primeira vez que conseguimos conectar o lançamento do halo de uma labareda. Isso vai nos ajudar a entender como os buracos negros superlativos alimentam alguns dos objetos mais brilhantes do Universo”, explica Dan Wilkins, envolvido no projeto e pesquisador da Universidade de Saint Mary.

A principal questão dos pesquisadores agora é descobrir o que é o “algo” que eles flagraram saindo do buraco negro. Se descobrirem, acreditam que darão passo importante nos estudos sobre esse tipo de fenômeno, chegando, por exemplo, a conclusões sobre tamanho, dimensões e funções dos buracos.

Fonte: Yahoo!

Extraterrestres existem? Por que ainda não convivemos com eles?

A cientista e escritora Maria Pereda (M.C. Pereda) e a metafísica Cris D Paschoal são entrevistadas por Lucimara Parisi, sobre a possibilidade de vida extraterrestre, como eles são e o motivo de ainda não conviverem conosco.

Como suportar o insuportável?

11899984_952307054826664_5917220713671733095_n

Esta foto, de partir o coração, traz uma reflexão sobre a nossa forma insustentável de vida e consumo.
Estamos alterando tão profundamente este planeta que muitas espécies não estão dando conta.
Muitas hoje só conseguirão sobreviver graças aos esforços de reprodução em cativeiro.
Também ajuda a refletir sobre o discurso recorrente de que animais estariam bem melhor na natureza do que em bons zoos.
Encaramos esta foto como um grito de alerta e um chamado à ação.
Bora repensar nossa forma de viver neste planeta?

Fonte: Seemorerocks

Ao invés de brigar, taxista decide oferecer serviço tão bom quanto Uber

A briga de taxistas com motoristas que usam o aplicativo Uber vem se intensificando em todo o país.

Mas muitos passageiros ressaltam a diferença de tratamento, atendimento e serviço, detalhes que fazem a diferença na hora de escolher com quem vai fazer a corrida.

Diante disso, um taxista de Belo Horizonte resolveu fazer diferente: em vez de violência, passou a oferecer atendimento melhor que seus concorrentes.

Para isso, instalou em seu táxi um display com revistas e jornais, além de também oferecer barrinhas de cereal, bombons e água mineral.

Marco prefere atitudes simples que realmente fazem a diferença em vez de agredir outros motoristas.

taxista_capa

Fonte: Catraca Livre

Paga quanto quiser e lava louça depois de comer: conheça o anti-restaurante

Nós adoramos ideias inovadoras, e por isso hoje vamos falar sobre a Ecozinha, um restaurante em Curitiba que tem dado o que falar. Ao Projeto Draft a idealizadora Fátima Mazarão e seu namorado Luciano Vaini, que entrou de cabeça no projeto, falou um pouco a respeito do espaço, que Fátima definiu como um “anti-restaurante”.

A ideia foi criar um ambiente que oferecesse alimentos veganos (sem ingredientes de origem animal), saudáveis e que, de quebra, deixassem os frequentadores do local à vontade para contribuírem financeiramente da maneira que achassem mais justa. “Feijoada vegana, farofa de banana, arroz/salada: esse almoço custou 220 reais, deixe sua contribuição =)”, diz o quadro negro que já dá pistas sobre a ideia por trás do tal “anti-restaurante”.

Além disso, os clientes, que são tratados como família mesmo, podem ajudar a lavar a louça, por exemplo. A proposta dessa cozinha itinerante funciona sempre às sextas-feiras, na casa coletiva Solimões 541. Lá, não espere pelo atendimento de um garçom ou por uma mesa reservada. A ideologia familiar é deixar todo mundo sentado à mesma mesa, o que aproxima as pessoas.

Sucesso

O Ecozinha existe há pouco tempo, mas está dando tão certo que Fátima e Luciano mostram seu serviço em outros eventos e feiras de Curitiba. Além da proposta inusitada com relação ao pagamento pela comida, os chefs preparam tudo sem nada de origem animal e industrial. Em vez disso, alimentos orgânicos frescos são a base de todos os pratos.

A ideia de financiamento livre nasceu durante o período em que Fátima fez mestrado em Portugal – ela é historiadora por formação. Como dividia sua casa com outras pessoas, era sempre ela quem cozinhava, e a fama de seus pratos começou a atrair mais e mais amigos, que contribuíam financeiramente, de forma espontânea.

A turma de amigos nem sabia, mas estava plantando na cabeça de Fátima a sementinha do que viria a ser a ideia base do seu projeto. De volta ao Brasil, a historiadora que adora cozinhar conseguiu realizar seu desejo de conciliar uma alimentação saudável com uma forma diferente de fazer negócio.

Com o passar do tempo o projeto ficou ainda mais sério, e Fátima ajudou a amiga Cuka Linck a colocar a ideia em prática em Portugal também. Quando voltou de vez para o Brasil, em janeiro deste ano, ela conheceu Luciano, que é chef e buscava uma maneira diferente de viver, produzir e ganhar dinheiro. A afinidade ideológica acabou se transformando em namoro.

Juntos, os dois se divertem enquanto pensam em novas receitas com uma série de temperos naturais e saudáveis, que dão aos pratos o gostinho especial que é a garantia de sucesso do casal.

A ideia por trás de projetos como esses é a busca pela simplicidade de trabalhar para viver, e não o contrário. Fátima controla os gastos do restaurante por meio de anotações que faz em uma caderneta. A ideia não é gerar lucro para acúmulo, mas sim poder cobrir os gastos com os produtos e ter a mínima condição de viver bem. Após arcar com os gastos da produção, sobram em média R$ 1.500,00 por mês.

Luciano, que é chef profissional, certamente teria um salário muito maior se trabalhasse em um restaurante “normal”. Os dois sabem que o projeto tem uma espécie de prazo de validade, mas enquanto puderem manter a ideia, assim vai ser feito. Até lá, os dois comemoram o fato de que a alimentação saudável está cada vez mais sendo procurada e discutida e pensam em novas ideias para o futuro. Boa sorte para eles!

Veja cinco motivos para tomar água com limão em jejum

Água com limão é recomendada como detox por nutricionistas.

Água com limão é recomendada como detox por nutricionistas.

O detox virou moda! Tomar um copo de água com meio limão espremido todo dia de manhã, ainda em jejum, é o mais fácil deles. A nutricionista Thaianna Velasco indica cinco motivos para aderir este hábito,

1) Desintoxica o fígado

A principal função desta mistura é atuar sobre este órgão, tão sobrecarregado pelas toxinas que adquirimos diariamente. Essas substâncias vêm dos alimentos, remédios, adoçantes, poluição, tabagismo e alguns cosméticos.

2) Melhora da imunidade

O limão é altamente ácido. Ao entrar no organismo ele torna o sangue mais alcalino e por isso mais resistente à doenças. O açúcar tem o efeito oposto. Por isso, não é recomendado adoçar esta mistura.

3) Ajuda na digestão

O limão limpa o intestino e aumenta os movimentos do órgão, ajudando no processo de desintoxicação e digestão. Caso você tenha problemas digestivos, queimação quando come, dificuldades de digestão e sono após comer, o limão ajudará o seu organismo a se equilibrar e você verá que após alguns dias terá uma baixa nestes sintomas de má digestão.

4) Esta mistura é adstringente

Isso significa que ele ajuda a eliminar gorduras. Não quer dizer que emagreça, mas que ajuda a desintoxicar o sangue do excesso de gordura.

5) Controla a pressão

O limão funciona como um ciurético natural, que ajuda na redução da pressão arterial. Hidrate-se!

Atenção:

Pessoas com problemas de gastrite, acidez e irritação de mucosa não devem aderir ao hábito. O limão é muito ácido e vai piorar os sintomas.

Fonte: Extra

Chia: a semente que emagrece e reduz gordura

Ela manda a fome embora e é capaz de controlar a glicemia e baixar o colesterol

Grãos de chia - Foto: Getty Images

Grãos de chia

A chia (Salvia hispanica L.) é uma planta herbácea da família das lamiáceas, da qual também fazem parte o linho e a sálvia, tanto que é conhecida com “salvia hispânica”. Originária do México, suas sementes já eram utilizadas como alimento pelos povos das civilizações da América Central há muitos séculos. A importância do consumo desta semente tem sido reforçada por especialistas em nutrição humana, uma vez que nela são encontrados ácidos graxos poli-insaturados essenciais, fibras, proteínas e outros nutrientes. Mas a fama notória da chia foi conquistada graças aos seus efeitos sobre a dieta, pois a semente é capaz de favorecer o emagrecimento. Consumi-la significa colher uma lista de benefícios, que incluem desde regular as taxas de colesterol sanguíneo até fortalecer o sistema imunológico.

Semente de chia – Por 25 g (uma porção)
Calorias 122 kcal
Carboidratos 10,53 g
Proteínas 4,14 g
Gorduras 7,69 g
Gorduras saturadas 0,833 g
Gorduras monoinsaturadas 0,577 g
Gorduras poli-insaturadas 5,917 g
Fibras 8,6 g
Cálcio 158 mg
Fósforo 215 mg
Magnésio 84 mg
Potássio 112 mg
Ferro 1,93 mg
Zinco 1,15 mg
Vitamina A 14 UI
Vitamina B1 (Tiamina) 0,155 mg
Vitamina B2 (Riboflavina) 0,043 mg
Vitamina B3 (Niacina) 2,208 mg

Tabela do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos

A chia pode ser facilmente consumida junto a saladas ou na mistura de sucos e vitaminas, além de outras receitas, na quantidade de duas colheres de sopa, que equivale a 25 gramas. Ela contém alto teor de ácidos graxos poli-insaturados essenciais, tipos de gorduras consideradas benéficas ao organismo, sendo rica em ácido graxo alfa-linolênico, também conhecido como ômega 3.

Ela também contém carboidratos considerados de baixo índice glicêmico, pois aproximadamente 34,4% da porção de 100 g da semente é composta por fibras alimentares. Por fim, a semente ainda contém compostos fenólicos sendo considerada uma fonte natural de antioxidantes. Entre eles estão o ácido cafeico e ácido clorogênico.

Sua semente é considerada como uma boa fonte proteica por possuir um alto teor de proteínas, sendo em sua maior parte aminoácidos essenciais, ou seja, aqueles que não são produzidos pelo nosso organismo (isoleucina, leucina, lisina, metionina, fenilalanina, treonina, triptofano, valina e histidina). Para se ter uma ideia, precisamos consumir cerca de 50 gramas de proteínas todos os dias de acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), considerando uma dieta de 2 mil calorias diárias. Isso significa que 25 gramas de chia contém 8% da proteína que precisamos em um único dia.

Mas a chia transborda mesmo em quantidade de fibras, duas colheres de chia contêm 8,6 g delas. Como temos que consumir 25 gramas dessas substâncias ao dia, isso quer dizer que uma porção tem 34% das fibras de que precisamos diariamente! Veja qual porcentagem do Valor Diário* de alguns nutrientes ela também carrega:

  • 32% de magnésio
  • 16% de zinco
  • 15% de cálcio
  • 13% do ferro
  • 13% de vitamina B3 (niacina)
  • 12% de vitamina B1 (tiamina)
  • 3% de vitamina B2 (riboflavina).

* Valores Diários de referência para adultos com base em uma dieta de 2.000 kcal ou 8.400 kJ. Seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas.

Benefícios da chia

Ajuda a emagrecer: um dos motivos que fazem da chia uma grande aliada na perda de peso está na sensação de saciedade que a semente proporciona. Suas fibras têm a capacidade de absorver muita água, transformando-se em uma espécie de gel. É só fazer o teste, deixando uma porção de molho num copo para perceber a semente inchando em pouco tempo. Quando é ingerida, a reação é semelhante. Em contato com os sucos gástricos, suas fibras se transformam nesse gel, que aumentam a dilatação do estômago. É esse mecanismo um dos fatores que favorecem a saciedade e, consequentemente, acarreta um menor consumo de alimentos.

Além disso, o consumo regular de chia pode ser benéfico para evitar a formação de gordura localizada, outra grande inimiga de quem luta contra os ponteiros da balança. Um estudo publicado no European Journal of Clinical Nutrition validou uma pesquisa em que onze indivíduos saudáveis consumiram a semente por 12 semanas e obtiveram redução na glicemia após a refeição, ou seja, não houve picos de insulina no sangue, sendo assim, a glicose foi liberada lentamente no organismo. Tal processo evita que a gordura seja acumulada e, por consequência, afasta o excesso de peso. Os participantes do estudo também relataram diminuição do apetite até 120 minutos após o consumo da refeição, diferentemente dos indivíduos que não consumiram a chia, mostrando assim seu efeito no aumento da saciedade.

Previne e controla o diabetes: por conter fibras e aumentar o tempo de liberação da glicose, a chia pode ser relacionada com a prevenção do diabetes tipo 2. Funciona da seguinte forma: a digestão dos carboidratos começa na boca e termina no intestino, onde partes maiores de carboidrato são transformadas em tipos diferentes de açúcar (glicose, frutose, galactose) para serem absorvidos. Quando consumida com fontes de carboidratos (frutas, massas, pães), as fibras da chia têm como efeito a diminuição da velocidade com que o carboidrato sai do estômago e chega ao intestino, para terminar de ser digerido e absorvido, justamente por se transforarem em um gel. Dessa forma, a glicose é liberada lentamente na corrente sanguínea, fazendo com que o hormônio insulina, necessário para transportá-la até as células, também seja liberado em pequenas doses. A vantagem de tudo isso é que com menos doses desse hormônio circulando no organismo, evita-se assim uma condição chamada resistência à insulina. O quadro ocorre quando é preciso uma quantidade maior do composto para que a mesma quantidade de glicose seja armazenada, e em longo prazo favorece o aparecimento do diabetes tipo 2.

Previne doenças cardiovasculares: o consumo regular de chia é capaz de evitar doenças como infarto, derrame e hipertensão graças as suas grandes quantidades de ômega 3. Esse ácido graxo reduz a formação de coágulos sanguíneos e arritmias, além de diminuir o colesterol circulante no sangue. Além disso, o ômega-3 ajuda na regulação da pressão dos vasos sanguíneos, uma vez que aumenta a fluidez sanguínea, evitando assim, o aumento da pressão arterial.

Regula o colesterol: de toda gordura que compõe a chia, aproximadamente 77% são formados por ácidos graxos ômega 3 e ômega 6. Essas gorduras têm como uma de suas principais propriedades reduzir o colesterol ruim (LDL) e aumentar o colesterol bom (HDL), além de baixar os triglicérides na corrente sanguínea. Além disso, as fibras da semente também têm efeito benéfico na diminuição da concentração dos lipídios no sangue, que é o caso do colesterol.

Efeito desintoxicante: os antioxidantes, como o ácido cafeico, de sua composição, são responsáveis por auxiliar na desintoxicação do fígado, além de impedir a formação de radicais livres que agem destruindo as membranas celulares e desencadeando o processo de envelhecimento.

Fonte de cálcio: por ter bastante cálcio, a chia é uma alternativa para indivíduos que têm intolerância à lactose, necessitando de fontes alternativas desse mineral. Porém, alimentos como tofu e gergelim contêm maiores quantidades de cálcio, e vale consumi-los também.

Protege o cérebro: ela também pode favorecer as ligações cognitivas no cérebro. Muitos estudos relacionam os ácidos linoleico e alfa-linolênico presentes na semente com a formação das membranas celulares, as funções cerebrais e a transmissão de impulsos nervosos.

Pele e cabelos mais bonitos: em sua composição nutricional, a chia também apresenta vitamina A, nutriente que age como antioxidante contra os radicais livres e também auxilia na redução da acne e prevenção do ressecamento da pele. A semente também leva vitamina B2, importante na saúde da pele, unhas e cabelos.

Efeito anticelulite: já se sabe que a chia contém quantidades significativas de ômega 3 e muitos estudos têm relacionado o consumo desse ácido graxo com a diminuição da inflamação, o que seria interessante para diminuir e evitar celulite, um processo inflamatório do organismo.

Fortalece a imunidade: por conter minerais como o selênio e zinco, que auxiliam o sistema imunológico, a chia é importante para reforçar as defesas, afastando de perto doenças como gripes, resfriados e processos infecciosos. Além disso, por ter nutrientes como fósforo, manganês, cálcio, potássio e sódio, a semente é indispensável para a manutenção da integridade e saúde das células.

Boa fonte de ferro: o mineral, presente em grande quantidade na chia, é muito bem absorvido nesse alimento. Ele é o principal nutriente na formação dos glóbulos vermelhos, que transportam o oxigênio pelo nosso corpo. A redução desses glóbulos e da oxigenação levam à anemia, fadiga e cansaço, aumenta os riscos de infecções e também se relaciona a uma queda na imunidade.

Quantidade recomendada de chia

Os especialistas dizem que não há uma quantidade diária estabelecida para o consumo da chia. No entanto, estudos conduzidos em humanos que obtiveram resultados positivos utilizaram 25 g da semente, aproximadamente duas colheres de sopa, uma vez ao dia. Cabe salientar que alguns usaram mais. Mas como ela é calórica, o mais recomendado é manter os 25 g diários.

Como consumir a chia

Ela pode ser consumida crua, triturada ou em forma de gel ou na forma de óleo. A semente mantém suas propriedades em todas estas formas de consumo. Veja como usá-la:

Salada de chia e quinua - Foto: Getty Images

Salada de chia e quinua

Em forma de gel: deixe uma colher de sopa da semente de molho em 60 ml de água durante aproximadamente 30 minutos. O ideal é consumir o gel assim que ele estiver formado, não sendo recomendado guardar a mistura para comer depois. Depois que a goma é formada, você pode consumi-la na forma pura sem acompanhamentos (ainda que seja pouco comum) ou usá-la no preparo de mingau, sopas, batida em sucos ou em receitas de bolo e até adicionando à molhos de massas, por exemplo.

Substitua os ovos das receitas: o gel formado pela chia pode ser um ótimo substituto do ovo em receitas. Misturando uma colher de sopa da farinha de chia com 60 ml de água, você obtém uma quantidade de gel suficiente para substituir um ovo em qualquer preparação.

Semente seca: em vez de produzir o gel, você pode fazer diferente e adicionar a semente a líquidos como sucos, iogurtes e vitaminas. Uma sugestão é comer a porção no lanche entre as refeições, pois um pote de iogurte desnatado (160 ml) com uma colher de sopa de chia contém apenas 70 calorias.

Óleo da chia: ele pode ser usado para temperar saladas ou para regar a refeição quando já estiver no prato. O aquecimento do óleo de chia não é recomendado, pois o ômega 3 é facilmente oxidado com o calor, perdendo assim suas propriedades.

Na forma de farinha: a farinha pode ser misturada a frutas, sopas, mingaus e sucos de forma mais prática. Esta versão também pode substituir a farinha de trigo no preparo de receitas de pães e bolos. Outra boa pedida é comprar o grão, liquidificar, acondicionar a farinha em um pote e armazenar em geladeira para depois consumir junto da salada.

Chia sozinha ou com outros grãos? Normalmente as pessoas misturam grãos fontes de nutrientes diferentes, para atingir um benefício específico, nem sempre promovido por todos os grãos do mix. Com benefícios à saúde próximos ao da chia, temos a linhaça, o gergelim e o girassol. Mas não é recomendado consumir uma porção de cada uma deles por dia, devido à alta quantidade de calorias que essas sementes possuem. Sendo assim, uma solução pode ser fazer um mix destes grãos e consumir até 25g do mix ao dia.

Compare a chia com outros alimentos

  • Em relação à gordura, ela só perde da linhaça que contém 32,3 g em 100 g de alimento enquanto a chia tem em sua composição 30,74 g em 100 g. Mas vale lembrar que grande parte dessa gordura é proveniente de ômega-3 e omêga-6, benéficos para saúde e que equilibram as taxas de colesterol.
  • Se compararmos, porém os ácidos graxos dos peixes de águas profundas, como o salmão, e dos vegetais, existem diferenças. O ômega-3 de origem animal contém mais componentes EPA (ácido eicosapentaenoico) e DHA (ácido docosahexaenóico) do que os de origem vegetal, que não produzidos por nosso organismo e trazem mais benefícios à saúde cardiovascular.
  • A chia contém 631 mg de cálcio em 100 g. Mas vale lembrar que apesar de 100 gramas da semente terem mais cálcio do que um copo de leite integral (234 mg), é contraindicado consumir toda essa quantidade do grão, e o mineral do leite é mais facilmente absorvido pelo nosso organismo. Uma porção diária de chia (ou seja, 25 g) tem 158 gramas de cálcio, perdendo para o leite. E seria preciso mastigar muito bem o grão para dispor de todo o mineral que ele contém. Isso torna a semente uma boa opção para quem não pode consumir lactose e precisa de cálcio.
  • A semente também contém 112 mg de potássio e 84 mg de magnésio em 25 g enquanto o farelo de trigo (obtido como sobra do processo de refino do trigo, que dá origem à farinha de trigo) não apresenta nenhum dos dois micronutrientes. O magnésio é um mineral que não faz falta em pessoas que consomem as cinco porções recomendadas de vegetais, pois é abundante nesses alimentos. Porém, como a maior parte dos brasileiros não consome os 400 gramas de vegetais e frutas diários indicados pelo Ministério da Saúde (cerca de 90% de acordo com a Pesquisa de Orçamentos Familiares do IBGE), ela é uma boa alternativa para não perder o mineral.
  • A chia é considerada uma boa fonte de ferro, pois além de ter o mineral em alta quantidade, ele é mais fácil de ser absorvido na semente do que em alguns vegetais, pois eles acabam presos em uma substância chamada fitato. 25 g de chia contêm 1,93 g de ferro, 65 g de espinafre (o que equivale à quantidade recomendada de folhas verdes escuras para um dia) têm 1,77 g do mineral.

Na tabela abaixo você compara a semente com a quinoa, o trigo, a aveia, a linhaça e o amaranto – cinco outros grãos consumidos pelos brasileiros:

Nutrientes (100 g do grão) Aveia Farelo de Trigo Quinoa Amaranto Chia Linhaça
Calorias 394 kcal 360 kcal 380 kcal 373 kcal 485 kcal 495 cal
Carboidratos 67 g 76 g 68,8 g 64 g 42,12 g 43,3 g
Proteínas 14 g 10 g 13,11 g 13,5 g 16,54 g 14,1 g
Gorduras 8 g 2 g 5,77 g 6,89 g 30,74 g 32,3 g
Fibras 9,1 g 2 g 6 g 6,67 g 34,4 g 33,5 g
Cálcio 48 mg 18 mg 129 mg 160 mg 631 mg 211 mg
Potássio 336 mg 740 mg 509 mg 407 mg 869 mg
Fósforo 153 mg 411 mg 558 mg 860 mg 615 mg
Magnésio 119 mg 211 mg 249 mg 335 mg 347 mg
Ferro 4,4 mg 4,2 mg 9,33 mg 7,5 mg 7,72 mg 4,7 mg

Tabela Brasileira de Composição dos Alimentos (TACO) – versão 2, UNICAMP.
Fonte sobre dados nutricionais da chia: Departamento de Agricultura dos Estados Unidos

Contraindicações

Não há contraindicação ao consumo da chia, porém suplementos devem ser utilizados somente com prescrição médica ou nutricional.

Riscos

A chia é um carboidrato, apesar de conter fibras, em excesso, pode levar ao aumento de peso, constipação intestinal (principalmente se o indivíduo não tomar quantidade suficiente de água) e pode levar a desconfortos gástricos uma vez que retarda a saída dos alimentos do estômago.

O consumo excessivo de fibras pode interferir negativamente na absorção de minerais como cálcio e zinco.

Fonte: Minha Vida

%d blogueiros gostam disto: