Arquivo da categoria: Fotografia

Por que esta modelo que faturou milhões com o Instagram decidiu abandonar as redes sociais

Com apenas 18 anos, a australiana Essena O’Neill já tinha alcançado mais de 500 mil seguidores no Instagram, 200 mil inscritos em seu canal do YouTube e cada uma de suas ações nas redes sociais rendia milhares de likes e comentários. Foi aí que ela, que estava trabalhando em sua influência online desde que tinha apenas 16 anos, resolveu sair das redes sociais. O motivo ela resume em apenas uma frase: mídias sociais não são a vida real.

A jovem excluiu cerca de 2 mil fotos de suas redes sociais nas últimas semanas e passou a editar as legendas dos posts que sobraram. Ela aproveitou o momento para excluir seu Tumblr e manteve apenas algumas das publicações em seu YouTube e Instagram. Nas novas legendas, ela conta fala sobre ego e sobre as vezes em que foi paga para posar com alguma roupa específica.

Confere só alguns dos desabafos:

reallife1

“Não paguei pelo vestido, tirei incontáveis fotos tentando parecer sexy para o Instagram, fez eu me sentir incrivelmente sozinha.”

reallife

“Eu estava com acne aqui, isso é um monte de maquiagem. Eu estava sorrindo porque pensei que ficava bonita. Felicidade baseada em estética vai sufocar o seu potencial aqui na Terra.”

reallife2

“Me pagaram 400 dólares para postar um vestido. Isso foi quando eu tinha uns 150 mil seguidores. Com meio milhão, eu sei de várias marcas online que pagam até 2 mil por post. Não há nada de errado em aceitar acordos de marcas. Eu só acho que isso deve ser aberto ao conhecimento. Esta foto não tem substância, [o vestido] não foi feito através de uma fabricação ética (eu não sabia na época). Mídias sociais não são reais. Este é o meu ponto. Esteja atento ao que as pessoas promovem, questione você mesmo, qual é a intenção atrás da foto?”

reallife3

“NÃO É A VIDA REAL – tirei mais de cem em poses similares tentando fazer com que meu estômago ficasse bem. Quase não comi neste dia. E gritei com a minha irmã mais nova para que ela ficasse tirando elas até que eu ficasse, de alguma forma, orgulhosa disso.”

reallife4

“A única coisa que fez com que eu me sentisse bem nesse dia foi essa foto. Quão profundamente deprimente. Ter um corpo esculpido não é tudo que nós humanos somos capazes.”

reallife5

“NÃO É A VIDA REAL. Ganhei $$$ para promover o jeans e o top.”

reallife6

“E ainda outra foto tirada puramente para promover meu corpo de 16 anos. Essa era toda minha identidade. Isso era tão limitante. Me fez sentir incrivelmente insegura. Você não tem ideia.”

reallife7

“Fui paga por essa foto. Se você se encontra olhando para as “meninas do Instagram” e desejando estar no lugar delas… Perceba que você só vê o que elas querem. Se elas etiquetam uma empresa, 99% das vezes é pago. Não há nada errado em apoiar marcar que você ama (por exemplo, eu iria orgulhosamente promover lençóis Eco ou uma refeição vegan em troca de dinheiro se eu recebesse essa proposta). MAS isso ^^^ isso não tem propósito. Propósito nenhum em um sorriso forçado, roupas curtas e ser paga para parecer bonita. Nós somos uma geração ensinada a consumir e consumir, sem pensar em de onde as coisas vem e para onde vão.”

Todas as fotos © Essena O’Neill

Fonte: Hypennes

Imagens de objetos organizados que vão alegrar os seus olhos

Se você gosta de organização extrema, vai se deliciar com essas imagens de objetos do cotidiano organizados por cor e forma. Aviso a quem tem TOC: aproveite esse momento de relaxamento e deleite para seus olhos.

Perdidas no tempo: 10 grandes empresas que já estiveram no topo

Egito, Pérsia, Macedônia, Roma, Bizâncio. A História da humanidade é marcada pela ascensão e queda de impérios, que, após mudarem o mundo, são substituídos por outros mais fortes ou inovadores. No mundo da tecnologia, parece não ser tão diferente.

Há inúmeras empresas que contribuíram grandemente para a evolução de hardware, software e serviços, e com isso colheram status e domínio de mercado em seus respectivos momentos de apogeu, mas algo no meio do caminho acabou levando-as à falência, à mediocridade ou mesmo ao simples esquecimento.

Hoje, no TecMundo, faremos um breve memorial em nome daqueles que já foram gigantes da tecnologia, mas que nestes dias infelizmente não estão mais entre nós — ou até estão, mas ninguém liga muito.

1. Sun Microsystems

Tendo seu ápice durante a bolha da internet, a Sun Microsystems foi uma empresa que produzia e vendia computadores, softwares, componentes de hardware e informação tecnológica. Foi responsável pela criação do sistema de arquivos NFS e pelo Java. Este último, por exemplo, acabou se tornando uma linguagem de programação rápida e versátil que provavelmente ainda perdurará alguns bons anos.

Em janeiro de 2010, a Sun foi comprada pela Oracle Corporation por US$ 7,4 bilhões. No mês seguinte, ela foi fundida à multinacional, passando a se chamar Oracle America Inc. A Sun não chegou a falir ou fechar, mas sua aquisição a tornou praticamente inútil, sendo mantida apenas por causa de suas patentes.

2. Compaq Computer Corporation

Fundada no início dos anos 80, a Compaq desenvolvia, vendia e oferecia suporte a computadores e produtos e serviços relacionados. Foi responsável por alguns dos primeiros IBM PC compatíveis, chegando a se tornar a maior fornecedora de sistemas de computador do mundo, durantes os anos 90.

A companhia lutou para se manter no mercado após a reformulação causada pela bolha da internet, mas perdeu sua colocação de maior fornecedora para a Dell em 2001. No ano seguinte, foi adquirida pela HP por US$ 25 bilhões. Atualmente, a Compaq é mantida em uso por sua empresa-mãe apenas no desenvolvimento de sistemas simples.

3. Eastman Kodak Company

A Eastman Kodak Company é uma empresa multinacional especializada em equipamentos fotográficos profissionais e amadores. Foi cofundada por George Eastman, inventor do filme fotográfico, e ficou mundialmente famosa pela produção e comercialização desse produto. Durante a maior parte do século 20, a companhia foi uma gigante no mercado de filmes fotográficos, chegando a dominar 90% desse mercado nos Estados Unidos na década de 70.

Entretanto, no fim dos anos 90, a Kodak começou a enfrentar sérios problemas financeiros devido à queda de vendas em filmes durante a transição para a era da fotografia digital. O último ano em que obteve algum lucro, nesse longo período de crise, foi 2007.

A empresa chegou a mudar de estratégia, abraçando a tecnologia digital de fotografia e impressão, mas, em 2012, pediu proteção contra a falência para o governo norte-americano.  Em 2013, a Kodak emergiu da falência abrindo mão de vários de seus serviços, como a fabricação de câmeras digitais de foto e vídeo.

4. Napster

Tendo apenas dois anos de permanência no ar — de junho de 1999 a julho de 2001 —, o Napster original foi o serviço pioneiro no compartilhamento de arquivos P2P, com foco principal em arquivos MP3. O desbravador da modalidade foi, em seguida, inspiração para diversos novos serviços que gradualmente foram expandindo e aperfeiçoando suas capacidades, tal como Limewire, Kazaa e BitTorrent.

Como precursor do gênero, o Napster também foi um dos principais bodes expiatórios das grandes gravadoras, enfrentando múltiplos processos legais de infração de direitos autorais que resultaram em uma ordem judicial para o encerramento de suas operações.

O serviço original foi fechado e adquirido pela empresa americana de softwares Roxio, que relançou o Napster como uma loja de música online. Em 2011, a Roxio foi vendida para a Rhapsody, loja online da multinacional Best Buy.

5. Itautec S/A

A Itautec foi uma empresa 100% nacional com especialização em equipamentos de TI, automação comercial e automação bancária. Atuando no Brasil desde 1979, a companhia tinha subsidiárias em cinco países, chegando a possuir a décima maior base instalada de caixas eletrônicos do mundo, além da maior rede própria de assistência técnica em informática do país.

Também teve em seu histórico eventos como o controle sobre a marca Philco em território nacional, de 1994 a 2005, e diversos prêmios recebidos em 2010. Entre eles está o do World Finance Technology, sendo considerada a melhor fornecedora de soluções de segurança e tecnologia para o setor financeiro da América Latina.

Em 2013, porém, a Itautec S/A encerrou suas atividades com esse nome, vendendo a maior parte de sua participação nas áreas de automação bancária e comercial e prestação de serviços para a empresa japonesa Oki. A unidade de computação da Itautec, que também atuava com a marca Infoway, foi desativada.

6. SEGA

Gigante do mercado de console de video games, principalmente durante os anos 80 e 90, a SEGA rivalizou com a Nintendo por algumas gerações de consoles, lançando produtos como os antológicos Master System, Mega Drive — conhecido nos Estados Unidos como SEGA Genesis —, além do mundialmente conhecido mascote Sonic.

A SEGA causou um grande impacto no mundo da tecnologia com suas iniciativas inovadoras nas áreas de software e hardware, pavimentando o caminho para diversas empresas do mercado de video games.

Infelizmente, seu último console, o Dreamcast, causou enorme prejuízo à empresa, obrigando-a a se reestruturar. Ela deixou a fabricação de hardware, para dedicar-se estritamente ao desenvolvimento de games para outras empresas, inclusive para a própria Nintendo, que outrora foi sua grande concorrente.

7. Hewlett-Packard Company (HP)

Durante muito tempo sendo referencial para o mundo da tecnologia, a HP já foi uma das gigantes no mercado de computação, impressão, tratamento de imagem e softwares, chegando a se tornar líder na fabricação de computadores pessoais.

Ascensão do preço das ações da HP, desde o período de baixa entre 2012 e 2013

Apesar de ter sido a segunda maior vendedora de PCs em 2013, a empresa já não é mais sinônimo de qualidade há algum tempo. Isso e algumas apostas malsucedidas, como a tentativa de entrar no mercado de tablets, causou nos últimos anos uma enorme queda no valor das ações edemissões na companhia.

A empresa luta para se reerguer e desde dezembro do ano passado vem prosperando como corporação, mas, como marca, precisa de novas estratégias para reconquistar o lugar que um dia ocupou na preferência do consumidor final.

8. BlackBerry

Originalmente, essa empresa era conhecida por ser inovadora no ramo de smartphones empresariais e governamentais. Em 2010, chegou a dominar 43% do mercado dessa modalidade. Além da linha de celulares e smartphones, a companhia também tem seus próprios sistemas operacionais mobile, exclusivos para seus dispositivos.

A situação da BlackBerry iniciou seu processo de declínio com a grande competição de companhias como Apple e Samsung, que fornecem a já predominante tecnologia de telas sensíveis ao toque. Por causa disso, a fatia de mercado da empresa caiu para 3,8% em 2013. Atualmente, a maior parte de seu valor está em suas patentes, que valem entre US$ 2 e 3 bilhões de dólares.

9. America Online (AOL)

A companhia que chegou a ser um dos principais ícones da revolução da internet foi fundada em 1985. Conhecida por seu pacote de softwares, também chamado de AOL, a América Online oferecia a seus clientes a porta de entrada para a World Wide Web, chegando a ter mais de 30 milhões de usuários em seus serviços.

A empresa comprou em 2000 a Time Warner, aquisição que não foi muito frutífera, resultando na cisão e independência dessa última nove anos depois. Entre vários momentos de transição e reformulação da marca, a AOL tem enfrentado várias crises nos EUA ao longo dos anos. No Brasil, a empresa chegou em 1999 prometendo ser “o maior provedor de internet do País”, algo que não chegou a acontecer devido aos vários problemas técnicos com os CDs de instalação do discador e a má qualidade do serviço.

O prejuízo em toda a América Latina foi em torno de R$ 182 milhões, o que fez com que a empresa fechasse as portas oficialmente neste pedaço do continente em março de 2006. Houve um retorno da marca America Online no Brasil em 2008, mas com serviços diferentes daqueles oferecidos no início, como mensagens instantâneas, notícias, email e álbum de fotos.

10. Atari

A Atari talvez ainda seja a grande Top of Mind quando o assunto é video games antigos, e há uma boa razão para isso. A empresa criou as primeiras máquinas de arcade alimentadas por fichas e moedas, mas seu produto mais popular foi o console caseiro Atari 2600, que gerou um assombroso sucesso devido ao seu custo relativamente baixo e às várias opções de jogos que possuía.

Devido à crise no mercado de games em 1983, a empresa original passou por diversas reformulações, tendo divisões de departamentos e aquisições nas mãos de várias companhias. Em 2008, a Atari tornou-se subsidiária da Infogrames Entertaintment, SA, que mudou mais tarde seu nome para “Atari, SA”. Atualmente, ela está somente no ramo de desenvolvimento de jogos.

Poucas coisas duram para sempre e, em um campo no qual tudo muda tão rápido como a área de tecnologia, não é de se espantar que as coisas fiquem facilmente obsoletas, tornando difícil a tarefa de se manter firme no mercado. E você, de quais empresas de tecnologia que um dia já foram grandes sente mais falta?

Graças a semelhança com Angelina Jolie, argentina deslancha na carreira de modelo

Victoria Furnari (Foto: Instagram/Reprodução)

Victoria Furnari: sósia de Angelina Jolie? (Foto: Instagram/Reprodução)

Amodelo argentina Victoria Furnari viu sua carreira deslanchar ao mudar-se para Nova York e ser confundida diversas vezes com a atriz Angelina Jolie. Apesar de dizer não se achar parecida com a bombshell, Victoria passou a usar a dita semelhança a seu favor, abocanhando vários trabalhos.

De fato, a pele clara combinada a lábios fartos e grandes olhos verdes deixam a modelo bastante parecida com Angelina. Aos 24 anos, Furnari já fez trabalhos para a TRESemme, Balmain, Playboy, Coca-Cola, Avon,L’Oréal e Calvin Klein, além de ter interpretado Jolie em editorial recente. “Maquiadores, stylists e pessoas que trabalham comigo sempre falam que pareço com ela, mas eu não limito minha carreira a isso”, contou a modelo.

E você, concorda com as comparações?

Fonte: Vogue

13 fotos de grandes celebridades quando elas eram adolescentes

1 — Angelina Jolie em sua foto de formatura

2 — Alguém consegue acreditar que este é o George Clooney?

3 — Johnny Depp fazendo pose de galã

4 — Jane Fonda na década de 60

5 — Matthew McConaughey muito tempo antes de ganhar o Oscar

6 — Diane Kruger não mudou quase nada

7 — Shia Labeouf sofreu uma pequena “transformação”

8 — Nessa foto, Sarah Jessica Parker nem imaginava que seria protagonista em “Sex and the City”

9 — A Jennifer Aniston parou no tempo

10 — Cameron Diaz era líder de torcida

11 — Kanye West de bigodinho

12 — Jamie Foxx antes do aparelho

13 — O nariz de Owen Wilson nem sempre foi torto

Vídeo da Rua Augusta (São Paulo/SP) em 1967

Este filme iniciado em 1967 foi concluído com financiamento recebido através do concurso para filmes de curta metragem da comissão estadual de cinema do conselho estadual de cultura.

Assista o vídeo, segue abaixo a narrativa do vídeo.

Impressões sobre aquela rua tão Augusta pequena introdução ao mundo do homem Augustiniense.

Rua Augusta - São Paulo
Rua Augusta – São Paulo

Esta rua tão comércio, as lojas elegantes, o auto comércio a sofisticação das pessoas fizeram desta rua, onde se mesclam tipos nem sempre da alta burguesia, com sua ocupação habitual, ver vitrines, atualizar se com a moda, nem sempre comprar, tomar chá, encontrar Ricardo com a nova namorada, ouvir os discos da semana, comprar talvez um novo livro, esta rua tão problema, cuidado com as curvas, de proibido estacionar, não buzine, conversão à direita, não ultrapasse pela esquerda, não desacate à autoridade.

Esta rua tão mulher,

Rua Augusta - São Paulo
Rua Augusta – São Paulo

Esta rua é indiferente ao pintor, aos quadros do pintor, a mini saia do pintor, a vida do pintor, as amigas do pintor, esta rua que esnoba a pintura do pintor, pintor que pinta Cristos de mini saias, santas de motine, papas de bermuda, fraque de botinha moderninha, festas no céu e na terra, a santa bacalhoada, a guitarra dos apóstolos, esta rua é indiferente a pintura do pintor.

Esta rua tão pequena, crescendo para os lados, mais lugar para o comércio, mais lugares para olhar, mas lugares para encontros, crescendo para os lados, crescendo para cima, crescendo como quer, crescendo sem parar, crescendo para os lados, os toldos se se multiplicando, vitrines nunca vazias perfume francês, tecido escocês, pérola japonesa, vaso da china, tapete da pérsia, made in United States.

Nesta rua a revolta do poeta, esta rua tão noturna, tão risonha tão levada.

Em 15 de junho de 1969, Waldomiro de Deus, viajou para Europa levando como bagagem sua pintura irreverente.

Rua Augusta - São Paulo
Rua Augusta – São Paulo

Este vídeo é um documentário que registra de forma irônica o cotidiano de uma cidade de São Paulo, da rua mais irreverente do centro comercial de classe média alta, atenção no filme é para o pintor Naif Waldomiro de Deus, cuja sua obra e comportamento, tocava totalmente universo burguês dos frequentadores da rua augusta.

 

Fonte: Blog de São Paulo

Grace Jones, photoshop 10 anos antes do photoshop

Quando o ilustrador, designer e fotógrafo Jean-Paul Goude fotografou o “Nigger Arabesque”, onde a modelo, cantora e atriz jamaicana Grace Jones, um dos maiores ícone do anos 80, parece desafiar as leis da física, estávamos há 10 anos antes da versão comercial do Photoshop 1.0, primeiro programa de manipulação fotográfica digital.

A imagem foi produzida em 1978 e publicada na New York. Em 1985, ela foi recuperada por Jones e usada para a capa de seu disco, “Island Life”.  Na época, a imagem gerou muito barulho, pois todos queriam saber como foi realizado o processo criativo.
Na verdade, ela não é totalmente real. Para se chegar ao resultado final, Goude realizou um trabalho meticuloso e artesanal. Fez mais de 20 imagens e depois juntou todas numa espécie de montagem, criando assim uma espécie de “ilusão crível”. Confira no final vídeo com Grace Jones cantando “La Vie En Rose”, trilha sonora da novela “O Pulo Do Gato” (1978).
Grace Jones 1

Jean-Paul Goude
Grace Jones 11
Grace Jones 13

Primeiros Designs: Artes do Filme Enrolados

O filme enrolados conta a história de Rapunzel.

tumblr_mjh2ul5jbt1r4aq0jo1_500

Uma das partes mais importantes do processo de criar uma animação nos estúdios Disney é a das artes conceituais. Artista(s) são chamados para criar as primeiras imagens baseadas na história que vai ser contada. Alguns desenhos são descartados, outros recebem comentários dos diretores de animação (mais assim, menos assim, etc). E a partir daí o estúdio determina como vai ser cada personagem, a paleta de cores, os cenários, figurinos, etc… É a partir dessas artes que o filme ganha forma. As imagens a seguir são apaixonantes, o que vocês acham?

 

Fonte: MarimoonOficial

Como seriam os céus das megacidades sem as luzes da rua?

Veja como seria os céus das grandes cidades sem o excesso de luz, que também é considerada poluição. Perdemos grandes coisas em busca de uma vida moderna!

10665183_722998861115811_314515591153615733_n

 

Fonte: Biologia Total

WhiteAlbum traz para o seu iPhone a nostalgia da câmera de filme

whitealbum-app

Serviço permite que você tire 24 fotos e só as vê quando recebê-las em casa

Uma das vantagens de terem inventado as câmeras digitais é que podemos tirar várias fotos sem se preocupar e refazer a foto se sair ruim, não é verdade? Bom, parece que não é isso o que os desenvolvedores do app WhiteAlbum pensam.

Apostando na nostalgia das câmeras descartáveis, o WhiteAlbum é um app de fotografia bem simples para iPhone. Os únicos controles que você tem é ligar ou desligar o flash e escolher entre uma moldura quadrada ou redonda. Assim que você tira a foto, não é possível mais vê-la, apagá-la ou alterá-la. Após tirar apenas 24 fotos, você pode pagar 20 dólares para o serviço e recebê-las em casa, com envio grátis para o mundo todo.

A ideia é relembrar os tempos da fotografia de filme, quando você tinha que pensar bem antes de bater a foto, pois só tinha uma chance de acertar. E só saberia se a foto ficou boa depois de revelar. Mas com esse preço, imagino que os desenvolvedores também estavam com saudades do tempo em que fotografia era um hobby caro e para poucos…

whitealbum2whitealbum3

 

Fonte: Brainstorm9

%d blogueiros gostam disto: