Arquivo mensal: agosto 2015

Como suportar o insuportável?

11899984_952307054826664_5917220713671733095_n

Esta foto, de partir o coração, traz uma reflexão sobre a nossa forma insustentável de vida e consumo.
Estamos alterando tão profundamente este planeta que muitas espécies não estão dando conta.
Muitas hoje só conseguirão sobreviver graças aos esforços de reprodução em cativeiro.
Também ajuda a refletir sobre o discurso recorrente de que animais estariam bem melhor na natureza do que em bons zoos.
Encaramos esta foto como um grito de alerta e um chamado à ação.
Bora repensar nossa forma de viver neste planeta?

Fonte: Seemorerocks

Anúncios

‘Limpa o salão’ em público? Confira 7 passos para se livrar dessa mania

Essa matéria vai ser muito útil para você que sofre com a mania de cutucar o nariz. Essa matéria também serve para você que se incomoda ao ver alguém praticando o esse hábito nada higiênico e também nada saudável. O que dizer daqueles que partem para um nível acima do limite da nojeira e comem as melecas que tiram do nariz?

Enfim, por mais que seja um hábito comum à significativa parcela de aproximadamente 90% da população, o hábito de cutucar o nariz, mesmo que rápida e disfarçadamente, pode ser muito prejudicial à saúde. Mais do que isso, o hábito pode já estar relacionado a um problema de saúde. Por isso é importante entender que muitas vezes já é um quadro crônico.

Estudado com mais notabilidade desde 1995, o hábito de cutucar o nariz foi tema de algumas pesquisas desde então, e, segundo Jason Goldman, do site da BBC, as elas mostraram alguns pontos importantes sobre esse hábito. O primeiro deles é que se trata de uma mania de infância que, na maioria dos casos perdura para todo o resto da vida se não tomadas as devidas providências.

Além disso, “cutucadores de nariz” compulsivos podem causar danos à sua própria saúde e à saúde das pessoas que os cercam. Em casos mais dramáticos, esse hábito se tornou tão forte que algumas pessoas relataram ter machucado as vias nasais de forma séria, inclusive abrindo buracos entre as narinas. Nessa condição, houve casos nos quais foi necessário um procedimento cirúrgico e, mesmo assim, a cicatrização foi atrapalhada exatamente pela dificuldade da pessoa em parar com a mania.

Além da sua própria saúde, os cientistas alertam que há um risco maior da transmissão de doenças por bactéria, na medida em que as pessoas que mantém seus narizes “livres de catota” facilitam a proliferação desses organismos. O ambiente fica mais propenso a uma concentração maior de bactérias do que nas pessoas que não mantém esse hábito.

Mesmo com toda a incidência e os riscos, a “rhinotillexomania”, como a ciência chama o hábito de cutucar o nariz, não é considerada uma doença ou um sintoma de Transtorno Obssessivo Compulsivo (TOC), como o ato de roer unhas ou de arrancar os pelos do nariz. Se trata apenas de uma mania e, sendo assim, nós pegamos sete passos apresentados pelo site WikiHow para ajudar você que sofre deste mal e quer saber como parar. Confira:

1. Você tem um problema. Aceite isso.

Você acha que é uma “pequena cutucada” e que as pessoas não vão notar. Saiba que sim, as pessoas sempre notam e nunca gostam de ver isso. Se você tem como um hábito, você deixa de encarar o fato como um problema e isso passa a ser normal na sua consciência. Entenda que você precisa voltar a se conscientizar que tem um problema.

2. Tente investigar o que te faz cutucar o nariz com frequência

Se isso te deixa confortável, provavelmente é porque você tem uma sensação ruim ao evitar de fazer isso. Se você possui essa sensação ruim, com certeza você possui uma anormalidade que causa todo o problema. Uma boa dica é procurar um médico para saber se não há algo no seu nariz que faz você acreditar que precisa tirar as melecas.

3. Realize uma limpeza nasal todas as manhãs e todas as noites

Há soluções salinas naturais que podem ajudar a manter o seu nariz livre das tão repulsivas catotas. Procure realizar a limpeza regularmente. Sem meleca no nariz, não há nada que você possa tirar e faz você entender que não pode fazer isso. Um aparador de pelos do nariz também pode ajudar, na medida em que pelos em excesso na cavidade nasal podem entupir as vias e fazer você ter vontade de limpá-las.

4. Mude o seu comportamento

Boas dicas são procurar notar os momentos em que faz isso e trabalhar para evitar, ocupar as mãos e os dedos com outras atividades, fazer pequenas notas que a todo momento te lembrem que não pode cutucar o nariz, colocar um band-aid no dedo para que o hábito deixe de te causar conforto, entre outras. Lembre-se: acredita-se que um hábito leva 21 dias para ser quebrado, então procure impor a você mesmo a tarefa de não cutucar o nariz pelos próximos 21 dias.

5. Reformule o seu processo de pensamento

Reveja o que pensa sobre a sua situação. Tente pensar e afirmar para você mesmo que você vai parar com isso. Em vez de pensar em frases negativas como “não posso mais cutucar o nariz”, pense em algo como “meu nariz está ok”, “estou com as mãos ocupadas” ou “tenho mais o que fazer”. Isso ajuda o subconsciente a focar no seu objetivo, no que você pretende fazer.

Você também pode pensar no que você está fazendo de ruim cada vez que cutuca o nariz, como os germes que você está introduzindo no próprio corpo e as bactérias que está tirando dele para espalhar por aí. Ou ainda, tomar consciência do que as outras pessoas pensam de você quando veem que você está fazendo isso, e o possível bullying que possa sofrer.

6. Peça ajuda para outras pessoas

Seus familiares e seus amigos próximos vão entender melhor a sua situação. Explique para eles, peça ajuda. Combine um sinal discreto para que eles te alertem ao constatarem que você está fazendo isso em público. De uma maneira gentil, isso não vai causar constrangimentos a ninguém e vai te ajudar a superar o problema.

7. Se não puder evitar, pelo menos tente disfarçar ao máximo

Quanto mais você limpar o nariz em momentos nos quais está sozinho, menos vai precisar cutucar em público. Dessa forma, se a vontade de colocar o dedo nas cavidades nasais for irresistível, procure praticar o ato sórdido toda vez que vai ao banheiro. Ou, pelo menos, seja o mais discreto possível.

FONTE(S)

5 coisas que você precisa saber sobre carboidratos

Quando o assunto é perder peso ou melhorar a qualidade daquilo que se come no dia a dia, um ingrediente nunca fica fora da discussão: o carboidrato. É comum ouvirmos que dietas exclusivamente proteicas são as que mais trazem resultados, mas será que o carboidrato é realmente um item que deve ser excluído da nossa alimentação? O Mother Nature Network resolveu abordar o assunto e esclarecer algumas dúvidas a respeito de um dos principais componentes do nosso prato. Confira:

1 – O que é?

Carboidratos são compostos alimentares presentes em uma série de alimentos considerados não muito saudáveis, mas em alimentos considerados saudáveis também. Grãos, de um modo geral, leite, batata, bolos, biscoitos, massas e tortas são alimentos ricos em carboidratos.

2 – Os tipos

Carboidratos podem ser apresentados em três formas: açúcar, amido e fibra.

Açúcar: encontrado naturalmente em frutas, vegetais e leite, o açúcar é frequentemente adicionado ao preparo de alimentos doces industrializados, como biscoitos e afins. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, uma pessoa adulta deve consumir no máximo 50 gramas de açúcar por dia – só para comparar: uma lata de refrigerante contém cerca de 40 gramas de açúcar, então você já deve imaginar que, na verdade, consumimos bem mais do que a quantidade recomendada.

Amido: Batata e milho são dois alimentos naturalmente ricos em amido, que também pode ser encontrado em grãos como feijão, ervilha e lentilha.

Fibra: Um dos itens responsáveis pelo funcionamento intestinal e pela sensação de saciedade é encontrado em vegetais, frutas, castanhas, grãos integrais e cereais.

3 – Simples ou complexo?

Agora que você já sabe que os carboidratos são divididos em três categorias, está na hora de conhecer a diferença fundamental na hora de classificar carboidratos que fazem bem e aqueles que, no final das contas, se transformam em calorias vazias (isso ocorre quando o alimento tem alto teor calórico, o que contribui para o ganho de peso, mas baixo ou nenhum valor nutricional).

Os carboidratos simples são aqueles produzidos à base de um ou dois tipos de açúcares. Como têm uma estrutura química simples, assim que você os ingere, seu corpo os processa rapidamente e faz tudo virar energia. Isso significa que esse tipo de alimento se transforma em açúcar, é absorvido rapidamente e, por causa disso, vai deixar você com fome mais cedo.

Se a ideia é perder peso e diminuir sua taxa de glicose no sangue, evite consumir massas brancas, doces, bolos e refrigerantes. No caso das frutas, que também fazem parte dos carboidratos simples, fique tranquilo: porque são ricas em fibras, isso acaba compensando o açúcar – e vale lembrar também que o açúcar de uma banana, por exemplo, é natural e saudável, diferente do açúcar de um pedaço de bolo cheio de cobertura.

Já os carboidratos complexos são formados por estruturas químicas mais elaboradas, combinando pelo menos três tipos de açúcares. Exatamente por isso, são digeridos mais lentamente pelo nosso corpo, impactando bem menos os níveis de açúcar na corrente sanguínea e nos dando uma sensação de saciedade que dura mais tempo – além do mais, esses carboidratos deixam seu corpo com a sensação de energia em alta. São encontrados em alimentos integrais, cereais, vegetais e grãos.

4 – Qual a quantidade ideal de carboidrato para uma pessoa?

A necessidade diária depende do estilo de vida de cada pessoa, e você pode descobrir a quantidade ideal para você com a ajuda de um nutricionista. De qualquer forma, a recomendação média segundo as Orientações Dietéticas para Americanos é a de que adultos tenham entre 45 e 65% de sua dieta diária formada por carboidratos.

A diferença entre uma dieta saudável e uma ruim se dá justamente pela escolha desses carboidratos. Sabemos, por exemplo, que mulheres devem consumir 25 gramas de fibras por dia, enquanto os homens devem consumir 38 gramas desse mesmo tipo de carboidrato. Como sabemos que fibras estão em frutas, grãos e alimentos integrais, facilmente deduzimos que pessoas que não consomem esses três itens regularmente estão possivelmente ingerindo maiores quantidades de carboidratos “do mal”.

Isso é um problema, afinal as fibras são consideradas os carboidratos mais saudáveis e que mais trazem benefícios de curto e longo prazo. Quando seu intestino funciona bem e regularmente, você absorve nutrientes do jeito certo, a pele fica melhor e você fica longe do pesadelo vivido por pessoas que sofrem com prisão de ventre. Há estudos indicando que uma dieta rica em fibras reduz os riscos de o paciente desenvolver doenças de coração, obesidade e diabetes tipo 2.

5 – Quer mudar a qualidade da sua alimentação? A gente ajuda!

Basicamente, se você optar por consumir massas e grãos integrais, já terá benefícios visíveis em seu corpo depois de algumas semanas. Uma salada com vegetais e proteína é uma escolha mil vezes melhor do que uma porção de batata frita, por exemplo.

Aliás, quando for consumir produtos ricos em amido, como é o caso da batata, escolha porções pequenas e prefira as versões cozidas ou assadas. A combinação de amido com gordura não é muito boa. Depois do almoço, quando sentir aquela vontade de comer alguma coisa doce, opte por uma fruta, e deixe as sobremesas com chocolate e cremes para o final de semana.

Se você não está acostumado a comer frutas, legumes, verduras e alimentos integrais, fique tranquilo. Para criar um novo hábito alimentar, você vai precisar de um pouquinho de paciência, e, depois de alguns dias, talvez aprenda a saborear o açúcar de uma tangerina, por exemplo, com o mesmo prazer com que comia um pedaço de bolo.

Se você consome muito leite, queijo, iogurte e laticínios em geral, fique atento aos rótulos das embalagens – eles indicam a quantidade de carboidratos. De qualquer forma, as versões light são as mais recomendadas.

Bônus

Sabia que um estudo recente descobriu que o cérebro humano evoluiu também graças aos carboidratos presentes em nossa alimentação? Os cientistas afirmam que o amido, em específico, parece ter contribuído para o desenvolvimento e o crescimento do nosso cérebro. Obrigada, batatas!

14 falsificações que vão te impressionar de tão bizarras que são

1 — Deve custar uns 900 reais

2 — Daí você abre a tampa para colocar o CD e só tem entrada para cartucho

3 — É só dar uma invertida nas letras…

4 — … Ninguém vai perceber!

5 — “Space Boys 3” é o melhor desenho de todos

6 — Este é o “Specialman” feito especialmente para você

7 — O que a “SONIA” tem na cabeça?

8 — Tem muita coisa errada nesta mochila

9 — A mistura de Power Rangers, Tartarugas Ninjas, dois ratos, um coelho e uma rena deu nisso

10 — Compra que é original!

11 — Olha a Google dominando o mundo

12 — O quê?

13 — O Shrek está cada vez mais forte

14 — O que vocês têm a dizer agora, hipsters?

Estado declara crítica situação da Bacia Hidrográfica do Alto Tietê

Segundo portaria, ações de caráter emergencial deverão ser adotadas. Presidente de Subcomitê quer debater consequências de medida.

11457070

O Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE) publicou uma portaria em que classifica como crítica a situação hidríca na Bacia do Alto Tietê. Segundo as informações do Diário Oficial, com a medida, ações deverão ser adotadas para assegurar a disponibilidade hídrica. O prefeito de Salesópolis, Benedito Rafael da Silva, presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Alto Tietê, disse nesta quarta-feira (19) que quer uma reunião com o DAEE e a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) para discutir as consequências dessa classificação. Silva acrescentou que não havia sido informado sobre essa medida.

O Sistema Alto Tietê opera nesta quarta-feira (19) com 15,4% de sua capacidade de acordo com dados da  Sabesp. Essa é a 21ª queda consecutiva do sistema. O mês teve a queda mais acentuada do ano, com 2,8 pontos percentuais até esta quarta. Em 19 dias, choveu apenas 1,91% do esperado para agosto.

Na portaria publicada na terça-feira (18), de número 2617, o DAEE justifica que a medida foi tomada por conta do baixo índice de chuva nos reservatórios que abastecem a Região Metropolitana de São Paulo, considerando ainda a continuidade em 2015 da pior estiagem nessa região.

O DAEE determina ainda que torna-se uma infração a utilização de recursos hidrícos em desacordo ou sem a autorização do departamento.
TEXT-HERE-3

O órgão informou nesta quarta-feira que “não tem nada a acrescentar além do que está exposto na portaria DAEE – 2617”.

O prefeito Benedito Rafael quer discutir as consequências que a portaria pode trazer para o Alto Tietê. “Para a nossa região, o fornecimento de água para a agricultura é prioridade. Sabemos que em situações de crise, o fornecimento público é prioritário. Em segundo, vem os animais e, em terceiro a agricultura. Além da importância para a economia da nossa região, a agricultura também é responsável pelo fornecimento de alimentos para São Paulo. ”

 

Fonte: G1

Antes e depois do “sugador de bumbum”: compare fotos e descubra se empina mesmo

Recentemente, famosas como a panicat Fernanda Lacerda e a ring girl Syllvia Andrade declararam ser adeptas de um procedimento estético que chocou a internet: o Magic Pump, técnica que utiliza duas ventosas, uma em cada glúteo, para sugar a região. A promessa é de que o bumbum fique mais empinado, durinho e bonito, com cara de glúteo “malhado”. Milagre ou falácia? Conversamos com dois profissionais para esclarecer se a técnica realmente dá certo.

Magic Pump: o que é?

De acordo com Lillian Molinari, fisioterapeuta do Spa Soul, em São Paulo, o Magic Pump utiliza um aparelho com efeito de vácuo na região do glúteo, que, através de uma ventosa, faz uma sucção de compressão e descompressão. “Esse movimento de sugar e de soltar estimula a musculatura do bumbum, melhora a circulação do local e ativa o sistema linfático. Logo depois da sessão, o glúteo fica com um aspecto avermelhado, por conta da sucção. Mas, em meia hora, já volta ao normal. Não é uma sucção fora de controle, que vá causar flacidez”, garante Lillian.

DIVULGAÇÃO/SPA SOUL O Magic Pump usa ventosas para empinar o bumbum. A sensação é de sugar e soltar

O mais comum é que o Magic Pump seja associado a outros tratamentos estéticos para a área, como radiofrequência, Power Shape e corrente russa, que, segundo a fisioterapeuta, estimulam a produção de colágeno e combatem a flacidez, potencializando os resultados.

Mitos e verdades

Aumenta o bumbum?

A fisioterapeuta explica que essa pressão negativa tonifica a musculatura, e que a ativação dos sistemas circulatório e linfático traz uma melhora no aspecto da celulite. Tudo isso deixa o bumbum mais empinado – mas não aumenta o derrière, como muita gente diz. Segundo Lillian, o que acontece é que, com o glúteo mais empinado, há a sensação é de ele estar maior. “O fabricante da máquina diz que uma sessão equivale a 2000 repetições de exercícios para o glúteo. Acho que é exagerado. Eu diria que corresponde a uma meia hora, mais ou menos, de atividade física específica para o bumbum, como agachamentos, por exemplo”, explica.

Reduz gordura?

Outra coisa que o Magic Pump não faz é a redução de gordura. “O procedimento dissolve os nódulos de celulite, faz a remodelagem do glúteo e melhora o aspecto no geral, mas não destrói células de gordura, apenas melhora a saúde dessas células da região porque ativa os líquidos dessa região”, esclarece.

DIVULGAÇÃO/SPA SOUL As marcas avermelhadas são temporárias: somem em meia hora após o tratamento

Magic Pump dói?

Lillian explica que, no comecinho da sessão, a pessoa pode sentir um leve desconforto por causa da sucção, mas que o procedimento pode ser considerado indolor, uma vez que a ventosa faz um movimento de compressão e descompressão. “É como se sugasse e soltasse, e nada muito forte. É a sensação de uma massagem”, diz.

Quem pode fazer?

Pessoas com qualquer “estilo” de bumbum podem passar pelo procedimento, mas ele está proibido para quem tenha vasinhos na área das nádegas, que podem estourar com a sucção. Gestantes e quem tenha qualquer problema de circulação também devem passar longe do “sugador”.

Em quanto tempo dá resultado?

Lillian diz que logo após a primeira sessão a pessoa já a paciente nota o bumbum mais firme e empinado – mas alerta que, caso seja feito só um dia de tratamento, o resultado dura somente em torno de 48 horas. “O ideal é fazer de cinco a dez sessões, dependendo da necessidade de cada um”, recomenda.

DIVULGAÇÃO/SPA SOUL Quem faz academia tem resultados mais duradouros após o tratamento, de acordo com Lillian

Quanto tempo dura o resultado?

A atividade física, de acordo com Lillian, é um fator fundamental para a durabilidade dos resultados do Magic Pump. Para quem não faz atividade física, o resultado dura em torno de três meses. Para quem se exercita – principalmente fazendo treinos específicos para a região das nádegas – o tempo do resultado duplica e passa para seis meses.

Quanto custa?

A sessão de Magic Pump na clínica de Lillian custa R$ 150 reais e dura em torno de 30 minutos. Quando o procedimento é associado a outros protocolos, o preço fica mais salgado: com o Power Shape, por exemplo, o valor pula para R$ 300 a sessão.

Resultados da técnica

O Magic Pump promete efeitos milagrosos para o bumbum, mas, segundo o dermatologista Alberto Cordeiro, a coisa não é bem assim. “Não há nenhuma comprovação científica de que este aparelho de sucção realmente tenha algum efeito. Eu não recomendo justamente por causa disso”, relata o médico.

DIVULGAÇÃO/SPA SOUL O médico diz que o Magic Pump não tem o poder de atuar no músculo

Ele explica que o “pump” (sugar, em inglês) para o bumbum tem o mesmo princípio e efeito dos “sugadores de lábio”, que estavam na moda há um tempo atrás, com a promessa de deixar a boca mais carnuda. “É a mesma coisa. É uma sucção, que estimula a vascularização do local, ou seja, aumenta a quantidade de sangue que vai para o bumbum. Ele fica mais inchado e retém líquido, e por isso dá a impressão de que esteja maior”, diz Cordeiro.

Funciona?

O médico diz que a sucção fecha os vasos e deixa o tecido do bumbum sem oxigênio. Quando as ventosas são retiradas, esta área não oxigenada passa a demandar mais oxigênio e, por isso, há uma dilatação dos vasos do local. Neste momento, sai água de dentro do vaso para a pele, causando o inchaço. No entanto, os efeitos são absolutamente transitórios. “Os resultados duram no máximo uma semana ou 15 dias e depois somem”, garante.

De acordo com o dermatologista, o Magic Pump pode até melhorar um pouco a celulite, porque estimula a vascularização. Mas não empina o bumbum por muito tempo e nem age com os efeitos de exercícios físicos. “Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Exercício físico recruta musculatura, tendões e articulações. O pump não tem ação no músculo. A menos que outros procedimentos associados sejam utilizados, como a corrente russa, por exemplo, que tem alguma ação no músculo, mas que também é passageira”, explica. Cordeiro diz que o jeito para empinar e aumentar o bumbum é mesmo dieta e exercício físico. Pode-se também apelar para a colocação de próteses no local, ou mesmo se submeter a um preenchimento.

Riscos do procedimento

DIVULGAÇÃO/SPA SOUL Gestantes e pessoas com problemas de circulação não devem se submeter ao procedimento

De acordo com Cordeiro, se o sugamento for muito intenso, alguns vasos sanguíneos podem se fechar, tirando todo o suprimento de sangue do local. Isso pode levar a uma isquemia na região, que é quando há alguma interrupção no fluxo sanguíneo para uma determinada área. “Isso pode causar uma necrose. Sem sangue, os tecidos morrem e o local fica escurecido. Para corrigir, é preciso fazer cirurgia, que deixa cicatrizes e deformações. Eu não indico, ainda mais os aparelhos são produzidos sem base científica comprovada”.

Fonte: Bolsa de Mulher

Consiga dentes mais brancos em uma semana com 3 tratamentos

Clareamento em casa ou no consultório e fitas adesivas garantem sorriso sem manchas

É normal que os dentes fiquem amarelados com o passar dos anos, principalmente se você abusou de alimentos muito pigmentados e do cigarro. Quem realiza boa higiene oral, faz visitas regulares ao dentista, não fuma e não exagera na ingestão de alimentos como açúcar, café, chá e refrigerantes, tem menos chances de ter o sorriso manchado. Mas depois que as manchas já estão aparentes não há bom hábito que consiga clareá-las, apenas podem evitar que o amarelado se intensifique.

O dentista Ricardo Martinelli, do Instituto Martinelli, explica que para que o branqueamento seja eficiente e saudável, devem ser usados produtos clareadores contendo peróxido de hidrogênio. ‘Eles introduzem oxigênio na estrutura dental e promovem a quebra das moléculas de pigmento, amenizando as manchas’. Ele conta ainda que existem também produtos abrasivos, como o bicarbonato de sódio e algumas pastas de dente clareadoras, que podem causar desgaste excessivo do esmalte dental, causando retrações gengivais e, posteriormente, sensibilidade dentinária, que é aquela sensação dolorosa quando se toma algo gelado ou muito doce.

Tratamentos que clareiam os dentes em uma semana

Clareamento caseiro supervisionado

Créditos: Thinkstock

Antes de realizar o clareamento, o dentista deverá avaliar a cor inicial (Créditos: Thinkstock)

Esse tratamento começa a ser perceptível depois do quinto dia de aplicação. O dentista irá, primeiramente, realizar um exame clínico para avaliar a estrutura dental, em seguida, a cor inicial será avaliada, graduada de acordo com uma escala de cor e registrada através de fotografias. A segunda etapa é a moldagem total da boca para a confecção de moldeira individualizada e, em seguida, é feita a entrega do material clareador para o paciente, juntamente com as instruções de uso. ‘Atualmente é recomendada a utilização noturna de quatro a seis horas durante duas semanas, podendo ser prolongada por até quatro semanas, dependendo do resultado obtido e do pretendido’, explica Ricardo Martinelli.

O paciente deve retornar semanalmente ao consultório para mensurar o grau de sensibilidade dos dentes e ajustar a concentração do material e o tempo de uso diário do gel. A finalização é feita com aplicação de gel flúor neutro, seguida por fotos finais e comparação entre as imagens iniciais e finais.

Clareamento no consultório

O clareamento no consultório é feito com um produto muito mais forte que o clareamento caseiro e necessita de cuidado do profissional para não lesionar a mucosa ou a polpa dental (o nervo do dente). ‘Para efeito de comparação, o produto usado no clareamento caseiro possui uma concentração aproximada de 5% a 7% de peróxido de hidrogênio e o usado no consultório tem concentração de 35% a 38%’, explica o dentista.

Depois de aplicado o gel clareador nos dentes, é feita a exposição à luz do tipo led ou ao laser, que irá ativar a reação química do produto, acelerando o branqueamento.

Segundo Ricardo Martinelli, atualmente o uso do clareamento no consultório está limitado às pessoas que não possuem a disciplina necessária para conseguir resultado satisfatório com a técnica caseira. ‘A técnica atualmente mais aceita do ponto de vista científico é a caseira, que promove um branqueamento seguro, com menos sensibilidade e com maior duração’, explica. Os resultados das duas técnicas, em termos de clareamento, serão muito parecidos, o que muda é que, no consultório, os resultados são imediatos.

Fitas dentárias

O dentista Normando Scarabotto explica que as fitas dentárias clareadoras, comumente compradas nas farmácias, devem ser fixadas aos dentes duas vezes ao dia, permanecendo na boca durante trinta minutos. “O gel que existe na fita fica em contato com o esmalte do dente, onde as moléculas oxidantes existentes no produto liberam oxigênio, que quebra as moléculas dos pigmentos que escurecem os dentes”, conta. Segundo os fabricantes, os resultados começam a ser vistos em cerca de três dias. No entanto o dentista esclarece que, apesar de funcionar, o procedimento é mais lento e acaba saindo mais caro do que as medidas que podem ser tomadas por um dentista.

Fonte: Bolsa de Mulher

Ao invés de brigar, taxista decide oferecer serviço tão bom quanto Uber

A briga de taxistas com motoristas que usam o aplicativo Uber vem se intensificando em todo o país.

Mas muitos passageiros ressaltam a diferença de tratamento, atendimento e serviço, detalhes que fazem a diferença na hora de escolher com quem vai fazer a corrida.

Diante disso, um taxista de Belo Horizonte resolveu fazer diferente: em vez de violência, passou a oferecer atendimento melhor que seus concorrentes.

Para isso, instalou em seu táxi um display com revistas e jornais, além de também oferecer barrinhas de cereal, bombons e água mineral.

Marco prefere atitudes simples que realmente fazem a diferença em vez de agredir outros motoristas.

taxista_capa

Fonte: Catraca Livre

Paga quanto quiser e lava louça depois de comer: conheça o anti-restaurante

Nós adoramos ideias inovadoras, e por isso hoje vamos falar sobre a Ecozinha, um restaurante em Curitiba que tem dado o que falar. Ao Projeto Draft a idealizadora Fátima Mazarão e seu namorado Luciano Vaini, que entrou de cabeça no projeto, falou um pouco a respeito do espaço, que Fátima definiu como um “anti-restaurante”.

A ideia foi criar um ambiente que oferecesse alimentos veganos (sem ingredientes de origem animal), saudáveis e que, de quebra, deixassem os frequentadores do local à vontade para contribuírem financeiramente da maneira que achassem mais justa. “Feijoada vegana, farofa de banana, arroz/salada: esse almoço custou 220 reais, deixe sua contribuição =)”, diz o quadro negro que já dá pistas sobre a ideia por trás do tal “anti-restaurante”.

Além disso, os clientes, que são tratados como família mesmo, podem ajudar a lavar a louça, por exemplo. A proposta dessa cozinha itinerante funciona sempre às sextas-feiras, na casa coletiva Solimões 541. Lá, não espere pelo atendimento de um garçom ou por uma mesa reservada. A ideologia familiar é deixar todo mundo sentado à mesma mesa, o que aproxima as pessoas.

Sucesso

O Ecozinha existe há pouco tempo, mas está dando tão certo que Fátima e Luciano mostram seu serviço em outros eventos e feiras de Curitiba. Além da proposta inusitada com relação ao pagamento pela comida, os chefs preparam tudo sem nada de origem animal e industrial. Em vez disso, alimentos orgânicos frescos são a base de todos os pratos.

A ideia de financiamento livre nasceu durante o período em que Fátima fez mestrado em Portugal – ela é historiadora por formação. Como dividia sua casa com outras pessoas, era sempre ela quem cozinhava, e a fama de seus pratos começou a atrair mais e mais amigos, que contribuíam financeiramente, de forma espontânea.

A turma de amigos nem sabia, mas estava plantando na cabeça de Fátima a sementinha do que viria a ser a ideia base do seu projeto. De volta ao Brasil, a historiadora que adora cozinhar conseguiu realizar seu desejo de conciliar uma alimentação saudável com uma forma diferente de fazer negócio.

Com o passar do tempo o projeto ficou ainda mais sério, e Fátima ajudou a amiga Cuka Linck a colocar a ideia em prática em Portugal também. Quando voltou de vez para o Brasil, em janeiro deste ano, ela conheceu Luciano, que é chef e buscava uma maneira diferente de viver, produzir e ganhar dinheiro. A afinidade ideológica acabou se transformando em namoro.

Juntos, os dois se divertem enquanto pensam em novas receitas com uma série de temperos naturais e saudáveis, que dão aos pratos o gostinho especial que é a garantia de sucesso do casal.

A ideia por trás de projetos como esses é a busca pela simplicidade de trabalhar para viver, e não o contrário. Fátima controla os gastos do restaurante por meio de anotações que faz em uma caderneta. A ideia não é gerar lucro para acúmulo, mas sim poder cobrir os gastos com os produtos e ter a mínima condição de viver bem. Após arcar com os gastos da produção, sobram em média R$ 1.500,00 por mês.

Luciano, que é chef profissional, certamente teria um salário muito maior se trabalhasse em um restaurante “normal”. Os dois sabem que o projeto tem uma espécie de prazo de validade, mas enquanto puderem manter a ideia, assim vai ser feito. Até lá, os dois comemoram o fato de que a alimentação saudável está cada vez mais sendo procurada e discutida e pensam em novas ideias para o futuro. Boa sorte para eles!

11 filmes que levaram muito tempo para serem concluídos

1. Cleópatra

Tempo: 5 anos

Motivo: Em 1958 foi iniciada a pré-produção, que contava com Joan Collins para o papel principal. Dois anos se passaram e nenhuma cena havia sido gravada. Collins abandonou o projeto, sendo substituída por Elizabeth Taylor. Pouco tempo depois, foi a vez de os atores que dariam vida a Júlio Cesar e Marco Antônio abandonarem o filme. Após seis dias de gravação, o diretor foi demitido. Com um custo 20 vezes maior do que o planejado, “Cleópatra” foi lançado em 1963.

2. Uma Aventura Lego

Tempo: 6 anos

Motivo: Animações costumam demorar mais tempo para serem produzidas, porém, “Uma Aventura Lego” demorou mais do que o normal devido à quantidade de mudanças feitas no roteiro original.

3. Eraserhead

Tempo: 6 anos

Motivo: Em 1971, o roteirista e diretor David Lynch se mudou para Los Angeles e começou a trabalhar no filme, que seria seu primeiro curta-metragem. O apoio financeiro que conseguiu do American Film Institute não foi o suficiente e David precisou pedir ajuda a parentes e amigos. Apenas em 1977 o filme foi lançado.

4. A Bela Adormecida

Tempo: 8 anos

Motivo: Primeiro, o filme foi inteiramente gravado em estúdio, com atores reais, para dar uma base aos animadores.

5. Cronos

Tempo: 8 anos

Motivo: Apenas a dedicação do diretor Guillermo del Toro para que cada detalhe saísse do jeito planejado já garantiria ao longa muito tempo de filmagem. Porém, problemas financeiros fizeram com que a obra demorasse mais que o esperado.

6. Os Simpsons: o filme

Tempo: 10 anos

Motivo: As inúmeras mudanças no roteiro.

7.  Eu os Declaro Marido e… Larry

Tempo: 10 anos

Motivo: A ideia inicial do produtor Tom Shadyac era começar o filme em 1999. Os protagonistas seriam Nicolas Cage e Will Smith, e o nome original seria “Eu os Declaro Joe e…Benny”. Porém, Tom só conseguiu iniciar as filmagens 8 anos depois.

8. Roar

Tempo: 10 anos

Motivo: Após uma viagem à África, o produtor de “O Exorcista”, Noel Marshall, e sua esposa, a atriz Tippi Hedren, decidiram gravar um filme usando leões. A ideia inicial era usar animais treinados, porém, os responsáveis pelos animais alegaram que a única maneira de concretizar a película seria criando os leões.

Por 10 anos, a família criou ilegalmente cerca de 150 animais, entre leões, tigres, pumas, elefantes e girafas. Durante todo esse período o filme foi sendo gravado, inclusive as inúmeras vezes em que a equipe se põe em perigo junto aos animais. A chamada do longa não poderia ser mais apropriada: “Nenhum animal foi ferido durante as gravações deste filme. 70 membros do elenco e da equipe foram.”

9. “Boyhood”

Tempo: 12 anos

Motivo:O diretor Richard Linklater não queria usar maquiagem para envelhecer os atores ou mesmo trocá-los durante a filmagem, por isso, ele manteve o mesmo elenco e gravou o filme durante 12 anos.

10.  Avatar

Tempo: 15 anos

Motivo: Em 1994, o diretor James Cameron produziu um esboço de 80 páginas com a história que daria origem a “Avatar”. Após o sucesso estrondoso de “Titanic”, em 1997, Cameron já pensava em iniciar as gravações da obra. Porém, foi preciso esperar até que a tecnologia necessária estivesse concluída. Enquanto isso, o foco foi direcionado ao roteiro e à linguagem “na’vi”.

11. O Cavaleiro das Arábias

Tempo: 29 anos

Motivo: Um épico da animação, “O Cavaleiro das Arábias” foi gravado pelo diretor Richard Williams durante 26 anos. A obra teve início em 1964 e, por ser independente, sofreu com muitas pausas e falta de financiamento. Após conquistar êxito com “Uma Cilada para Roger Rabbit”, o diretor assinou um contrato com a Warner Bros. Porém, por não conseguir terminar o filme a tempo, Williams foi retirado do projeto e o produtor Fred Calvert finalizou o trabalho.

%d blogueiros gostam disto: