Arquivo mensal: julho 2015

Indígenas sofrem racismo em ônibus e são largados no meio da estrada

Por conta do preconceito de uma mulher que não queria viajar ao lado dos indígenas, quatro Kayapós que saíam do Encontro de Culturas Tradicionais na Chapada dos Veadeiros foram obrigados a descer do ônibus que os levaria de volta para Palmas (TO) e acabaram largados no meio da rodovia; organização do evento estuda processar a passageira e a companhia responsável

indígenas índios preconceito

Indígenas da tribo Kayapó, que vivem em Tucumã, no interior do Pará, foram alvo de um episódio de racismo e preconceito no início desta semana. Desde o último dia 17, eles estavam em Goiás participando do 15º Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros e voltariam para a sua aldeia no último domingo (26), mas tiveram que adiar a viagem por conta da discriminação.

Com as passagens compradas, 18 indígenas embarcariam em Brasília, em um ônibus que faria o trecho até Palmas (TO), o ideal para que chegassem a Tucumã. Do total, 14 deles se instalaram na parte superior do ônibus e outros quatro ficaram na parte de baixo. De acordo com Isaac Kayapó, líder da tribo, uma mulher que estava em uma poltrona da parte inferior do veículo se incomodou com a presença deles. “Nós que pagamos! Ou vocês descem ou eu chamo a polícia”, teria dito a passageira.

Isaac conta que, apesar da indignação pelo preconceito que estavam sofrendo, os índios optaram por não dar importância à discussão e, acuados, os quatro desceram do ônibus e foram largados no meio da rodovia. “Ela disse um monte de coisa horríveis, mas não queríamos brigar”, disse.

O motorista interveio e perguntou se as partes queriam que ele chamasse a polícia. Mesmo com os indígenas cedendo ao preconceito da passageira, no entanto, o condutor simplesmente deu a partida e seguiu viagem sem prestar qualquer tipo de assistência.

Os quatro indígenas expulsos foram acolhidos por uma van da organização do Encontro e voltaram em um ônibus no dia seguinte, com novas passagens compradas. A coordenação do evento estuda agora acionar o Ministério Público e entrar com um processo contra a passageira e a empresa de ônibus por discriminação.

“É um preconceito que se vincula a um desconhecimento sobre esses indígenas e se vincula também a um momento que estamos vivendo de muito radicalismo dentro da sociedade e essas pessoas às vezes saem do armário. Elas não falavam, e hoje elas acham que podem falar e exercitar seu racismo cotidianamente”, observou Tiago Garcia, assessor da secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, que é uma das organizadoras do Encontro. “Ela cometeu um crime e merece ser punida por isso”, completou.

Anúncios

Para sensibilizar banda, mil fãs do Foo Fighters tocam ‘Learn to Fly’ em parque na Itália

YouTube / Reprodução

Ação vinha sendo planejada há um ano

Cerca de mil músicos se reuniram em um parque da cidade de Cesena, na Itália, para tocar “Learn to Fly”, um dos hits do Foo Fighters.

A ideia da ação, cujo vídeo foi publicado nesta quinta-feira, 30, é chamar a atenção de Dave Grohl e cia. e convencê-los a se apresentar por lá.

Batizado de “Rockin1000”, o projeto foi idealizado há um ano, segundo um dos organizadores que aparece no vídeo. Ele conta que pessoas de toda a Itália viajaram até a cidade, bancando seus próprios custos, para participar do evento.

Será que o apelo sensibilizará a banda? Assista ao vídeo:

E aqui a versão original:

7 coisas bizarras que as mulheres da Roma Antiga usavam para se manter bonitas

Pintura retrata mulheres romanas tomando banho (Foto: Wikimedia Commons)

PINTURA RETRATA MULHERES ROMANAS TOMANDO BANHO (FOTO: WIKIMEDIA COMMONS)

Assim como nos dias atuais, a preocupação com a estética era muito comum no Império Romano. Não que eles tenham inventado o culto à beleza nem nada do gênero. Na verdade, muitos dos costumes e modas que pegaram na Roma Antiga foram importados de civilizações mais velhas, como a Grécia e o Egito, depois de conquistadas pelos romanos. Mas ao contrário das tradições orientais, nas quais as mulheres se embelezavam de forma exuberante, as romanas prezavam mais pela discrição. Se usassem muito perfume e exagerassem na maquiagem, eram vistas como adúlteras ou prostitutas.

Mesmo assim, tanto patrícias quanto plebeias recorriam a loções e cosméticos para melhorar a aparência. A diferença é que o dinheiro comprava produtos de melhor qualidade e sem odores pútridos. Os cheiros vinham dos ingredientes bizarros a partir dos quais muitos dos cremes eram feitos. Como naquela época o conhecimento sobre química não era lá tão avançado, o pessoal acreditava que essas substâncias tinham bastante poder. E o resultado de aplicar essas melecas na cara podia ser um tanto desagradável. “Não era incomum para um marido beijar sua esposa e descobrir que seus lábios ficaram grudados no rosto dela por causa do processo”, escreveu a historiadora Ryan Stone no site Ancient Origins.

Achamos o artigo dela tão interessante e os ingredientes que ela citou tão estranhos que resolvemos listar alguns por aqui. Confira:

Pó de giz e cocô de crocodilo Uma das coisas que as romanas mais valorizavam era ter um tom de pele extremamente pálido – isso era um indício de que a pessoa passava muito tempo dentro de casa, e que portanto era rica o suficiente para garantir que servos e criados fizessem o “trabalho sujo” por ela. Só que as mulheres de Roma não eram tão brancas assim, então se sujeitavam a técnicas das mais bizarras para conseguir branquear a pele. Tipo passar pó de giz e cocô de crocodilo no rosto.

Leite de jumenta Como deixar a pele mais bonita? Basta tomar um belo banho de leite de jumenta fresquinho, é claro. Quem começou com essa história foi Cleópatra, a charmosa rainha egípcia que fisgou o grande general romano Marco Antônio. É claro que muitas moças de Roma queriam ser iguais a ela, por isso imitavam sua receita ~infalível~.

Banha de cisne e feijão cozido Quem quisesse se ver livre das rugas no Império Romano, talvez considerasse ter de matar um cisne ou então cozinhar um punhado de feijão. Isso por que a dica para acabar com as marcas faciais era esfregar em cima delas um pouco da gordura do animal, ou então passar feijão cozido nas rugas. Será que o povo acabava comendo essa gororoba?

Cinzas de caramujos Hoje em dia, ter sardas costuma ser considerado um charme a mais. Mas na Roma de dois mil anos atrás, elas eram um indício de tempo demais no sol, o que em outras palavras sugeria que a mulher era pobretona. Para sumir de vez com as pintinhas, as romanas queimavam caramujos e aplicavam as cinzas nas bochechas.

Delineador à base de fuligem Imagine passar o dedo naquela meleca preta que fica dentro das lareiras e depois pintar o olho com aquilo? Era mais ou menos o que as garotas faziam naquela época. A maquiagem nos olhos parecia bastante com a que é feita hoje, e a tal substância era chamada de kohl. Feita a partir de fuligem ou cinzas, foi introduzida no império pelos egípcios e continua sendo usada na Turquia até hoje!

Fonte: Galileu

Uma pintura renascentista mostra que a melancia costumava ser bem diferente do que a conhecemos

A fruta foi cultivada para ser maior e mais vermelha por dentro (Foto: Flickr/Harsha K R)

A FRUTA FOI CULTIVADA PARA SER MAIOR E MAIS VERMELHA POR DENTRO (FOTO: FLICKR/HARSHA K R)

Um quadro italiano à venda na galeria de arte Christie’s está levantando várias questões sobre a domesticação das frutas. Trata-se de uma obra de Giovanni Stanchi na qual estão retratadas diversas plantas e frutas, entre elas, pêssegos, peras e melancias –estas com um aspecto bem diferente do qual as conhecemos.

A estimativa é que o quadro tenha sido pintado entre 1645 e 1672, décadas após a popularização da fruta na Europa. A África é o continente de origem da melancia que, ao ser inserida no mercado, foi desenvolvendo determinados aspectos para sobreviver ao clima europeu.

Quadro do artista italiano Giovanni Stanchi retrata a fruta de forma bem diferente da qual a conhecemos (Foto: Reprodução/Christie's)

QUADRO DO ARTISTA ITALIANO GIOVANNI STANCHI RETRATA A FRUTA DE FORMA BEM DIFERENTE DA QUAL A CONHECEMOS (FOTO: REPRODUÇÃO/CHRISTIE’S)

Domesticar uma fruta também é cultivá-la em uma série de condições que faça com que ela tenha certas características desejáveis. A melancia, por exemplo, foi desenvolvida de forma a ser maior e ter um interior mais vermelho do que ela tinha originalmente.

Segundo especialista, é provável que fruta não tenha caroços no futuro (Foto: Christie's/Flickr)

SEGUNDO ESPECIALISTA, É PROVÁVEL QUE FRUTA NÃO TENHA CAROÇOS NO FUTURO (FOTO: CHRISTIE’S/FLICKR)

De acordo com James Nienhuis, professor de horticultura da Universidade do Wisconsin, nos Estados Unidos, a melancia “das antigas” provavelmente era saborosa, mais doce do que a sua contemporânea.

O professor também acredita que a domesticação da fruta não parará por ai. “Atualmente estamos experimentando formas de nos livrar das sementes da melancia”, afirma.

Via Vox

Brasil leva o ouro na Olimpíada de Matemática da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa

Brasileiros conquistaram um total de 154 pontos de 168 possíveis na competição (Foto: Divulgação)

BRASILEIROS CONQUISTARAM UM TOTAL DE 154 PONTOS DE 168 POSSÍVEIS NA COMPETIÇÃO (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Ocorreu, entre os dias 19 e 25 de julho, a 5ª Olimpíada de Matemática da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa. O evento foi realizado na cidade de Praia, no Cabo Verde, e reuniu 24 jovens de seis países.

Cada país levou uma equipe composta por quatro estudantes e dois professores. Foram aplicadas duas provas individuais em dois dias consecutivos, nas quais os alunos tinham resolver três problemas de matemática que envolviam álgebra, geometria, combinatória e teoria dos números.

Com a pontuação perfeita de 42 pontos, os alunos Pedro Lucas Lanaro Sponchiado e Mateus Siqueira Thimóteo, das cidades paulistas Santa Cruz do Rio Pardo e Mogi das Cruzes, respectivamente, conquistaram as medalhas de ouro. Já os os estudantes Andrey Jhen Shan Chen, de Campinas, em São Paulo, e Bruno Brasil Meinhart, de Fortaleza, no Ceará, conquistaram a medalha de prata.

O Brasil ficou em primeiro lugar geral, seguido por Portugal e Cabo Verde.

Fonte: Galileu

Saiba como essa vespa pode fazer você passar ‘5 minutos no inferno’

“Cinco minutos no inferno”. Essa é a descrição de uma das pessoas que já sofreram uma das piores dores que o homem pode sentir, causada pela vespa tarântula-falcão. Cientistas, biólogos especializados e outras pessoas que sofreram a picada comparam a dor com um choque elétrico forte. Extremamente torturante, a aflição pode durar entre 3 e 5 minutos, mas, segundo relatos, dá a sensação de ser eterna.

De acordo com o site Oddity Central, a dor é tão forte que pode fazer algumas pessoas perderem a noção e o controle sobre seus movimentos. Dessa forma, a recomendação dos especialistas e de quem já enfrentou a dor, para superar o momento difícil após a picada, é se jogar no chão, gritar e chorar o máximo que pode até que a dor passe.

Segundo o Jornal da Sociedade de Entomologia do Kansas, isso acontece porque a quantidade de veneno produzida pela vespa tarântula-falcão é enorme e sua ação no organismo é imediata. O veneno não possui toxicidade suficiente para afetar os seres vertebrados de forma fatal, porém a forte dor da picada é considerada a mais intensa causada por um inseto e pode fazer as pessoas terem reações inesperadas, como correr ou se debater, de forma que acabem se machucando.

Os relatos e recomendações são reforçados pelo biólogo do Departamento de Parques e Vida Selvagem do Texas, Ben Hutchins, que cita um famoso experimento publicado em um veículo periódico. Nessa experiência, um cientista capturou 10 espécimes da vespa e acabou sendo picado ao tentar segurá-las. “Não satisfeito, ele continuou e recebeu outras diversas ferroadas até que a dor se tornou tão insuportável que fez com que ele perdesse as vespas capturadas e se abrigasse em uma vala para chorar até quase perder os olhos”, relata a reportagem.

Hutchins afirma que a comunidade científica acredita que os mecanismos de defesa da vespa tarântula-falcão explicam o fato de essa espécie ter poucos predadores naturais. A aparência e o veneno efetivo faz com que poucas criaturas no mundo queiram se meter com essa vespa. Segundo o Oddity Central, na verdade, as vespas não são agressivas e não oferecem risco algum se não forem provocadas ou atacadas.

Nem mesmo os humanos precisam se preocupar ou se sentirem ameaçados por elas, já que o comportamento, por incrível que pareça, chega a ser dócil com as pessoas. Mesmo com os registros de casos de ataques a humanos existentes, o biólogo garante que as pessoas não precisam ter medo e considera o inseto um exemplar muito interessante da fauna.

Isso mesmo, acredite você ou não, elas são “amigáveis” e não atacam humanos, pois os machos se alimentam de néctar, não são carnívoros e sequer conseguem ferroar. Já as fêmeas são parasitas que usam o veneno para atacar as tarântulas (aranhas-caranguejeiras), que muitas vezes, possuem um tamanho bem superior ao da vespa. Veja o ataque no vídeo a seguir.

Mesmo assim, com apenas uma picada, as aranhas são paralisadas e são levadas (vídeo abaixo) até a cova do ninho da tarântula-falcão, onde, durante algumas semanas, servirão de alimento para a larva que resulta do ovo da vespa. O impressionante nessa situação é que as presas permanecem vivas até serem consumidas pelos “filhotes” do inseto voador.

 

 

Nasa encontra planeta similar à Terra em potencial zona habitável

Planeta Kepler-452b é 60% maior que a Terra e orbita a estrela Kepler 452.
Informação foi divulgada nesta quinta-feira pela agência espacial americana.

Cientistas da Nasa divulgaram nesta quinta-feira (23) que descobriram um exoplaneta com características muito similares à Terra e que orbita uma estrela semelhante ao Sol.

O planeta Kepler-452b foi chamado pelos cientistas de “primo distante” da Terra. Ele é 60% maior e tem boa chance de ser rochoso, embora sua massa e composição ainda não tenham sido determinados.

Ele demora 385 dias para dar uma volta completa ao redor de sua estrela, chamada de Kepler-452, astro do sistema que está a 1.400 anos-luz de distância da Terra.

Concepção artística mostra o exoplaneta Kepler-452b, o primeiro com tamanho aproximado da Terra a ser encontrado em uma zona habitável (Foto: NASA/JPL-Caltech/T. Pyle)

Concepção artística mostra o exoplaneta Kepler-452b, o primeiro com tamanho aproximado da Terra a ser encontrado em uma zona habitável (Foto: NASA/JPL-Caltech/T. Pyle)

Essa estrela é um pouco mais velha que o Sol (tem “só” 1,5 bilhão de anos a mais), tem a mesma temperatura, é 20% mais brilhante e possui um diâmetro 10% maior.

Os achados desta quinta foram publicados no periódico “The Astronomical Journal”. Com a descoberta, aumentou para 521 o total de exoplanetas descobertos pelo satélite Kepler.

‘Condições necessárias para a vida’
Em comunicado divulgado pela Nasa, Jon Jenkins, chefe do projeto do satélite Kepler, disse que a descoberta fornece uma oportunidade de entender e refletir sobre o ambiente em evolução da Terra.

[…] Devem existir todos os ingredientes e as condições necessárias para a vida existir
neste planeta”
Jon Jenkins, chefe do projeto do satélite Kepler

“É inspirador considerar que esse planeta já vive há 6 bilhões de anos na área habitável dessa estrela, mais do que a Terra. Isso é uma oportunidade substancial para a vida surgir, devem existir todos os ingredientes e as condições necessárias para a vida existir neste planeta”, afirmou o pesquisador.

Além desse achado, foram descritos ainda outros 11 candidatos à planeta que também estão em zona habitável.

A busca de planetas similares à Terra é uma das maiores aventuras na pesquisa espacial, e embora já tenham sido detectadas centenas de planetas do tamanho do nosso e outros menores, eles circulam em órbitas próximas demais de suas estrelas para que haja água líquida em sua superfície.

Comparação feita pela Nasa mostra o Sol e a Terra (à esquerda) e a estrela Kepler-452 com o planeta Kepler-452b (Foto: NASA/JPL-Caltech/T. Pyle)

Comparação feita pela Nasa mostra o Sol e a Terra (à esquerda) e a estrela Kepler-452 com o planeta Kepler-452b (Foto: NASA/JPL-Caltech/T. Pyle)

Comparação entre o Sistema Kepler-452 e o Sistema Solar feita pela agência espacial americana, a Nasa (Foto: NASA/JPL-CalTech/R. Hurt)

Comparação entre o Sistema Kepler-452 e o Sistema Solar feita pela agência espacial americana, a Nasa (Foto: NASA/JPL-CalTech/R. Hurt)

 

Fonte: G1

 

Aos 79 anos, vovó ‘foge’ de casa de repouso para fazer a 1ª tatuagem

Sadie Sellers, de 79 anos, deu um susto em sua família após ‘fugir’ de uma casa de repouso na Irlanda do Norte para fazer sua primeira tatuagem.

Segundo informações do “Mirror”, Tony Sellers, filho de Sadie, foi até o local para visitar a mãe e ficou surpreso quando descobriu que ela não estava lá. Sem avisar ninguém, Sadie saiu da casa de repouso com uma neta e foi até um estúdio de tatuagem, onde pediu o desenho de um coração vazado no braço esquerdo.

A mulher, que tem 11 netos, contou que tomou a decisão após ver as tatuagens Samantha, sua neta que a ajudou na ‘fuga’. “Eu apenas pensei: ‘bem, eu vou fazer uma também”, contou a idosa.

Samantha levou Sadie até o estúdio e viu a avó fazer a primeira tattoo. “Ela sempre me disse o quanto gostava das minhas tatuagens e piercings, e pensou sobre isso por um bom tempo”, conta a neta.

A idosa ainda disse que achava que o processo iria demorar e doer mais. Perguntada sobre o que sua família acharia da atitude, ela respondeu que não se importava. “Quando você tiver a minha idade, você terá de viver a vida ao máximo todos os dias”.

Fonte: Rede TV

Os 10 alimentos da felicidade

sorrisofrutas

Alguns alimentos podem promover a sensação de bem-estar devido a alguns de seus componentes nutricionais, como vitaminas e aminoácidos presentes. Podemos chamá-los de alimentos da felicidade, sobretudo se você os consumir com uma boa frequência e combinando uns com os outros.

Tais alimentos da felicidade podem beneficiar a todos nós, mas principalmente a pessoas que sofrem de depressão ou que estão passando por um momento de tristeza e consumindo os “alimentos antidepressivos” podem ajudar a prevenir que essa tristeza se prolongue muito se transformando em depressão.

Tomei o cuidado de relacionar nessa lista dos 10 alimentos da felicidade aqueles que normalmente temos em casa ou que compramos com frequência. Exemplo, os ovos podem ser substituídos pelo arroz e cereais integrais, mas poucas pessoas os consomem. Então, decidi escrever sobre algo mais próximo à nossa realidade.

Veja os 10 alimentos da felicidade:

  1. Banana: Bom-Humor
  2. Abacate: Acalma, energia
  3. Beterraba: Antifatigante
  4. Peixes de água gelada: Bom-Humor
  5. Gérmen de trigo: Calmante e anti-estresse
  6. Ovos: Ânimo, antidepressivo, calmante*
  7. Mel: Bom-Humor, energia
  8. Chocolate Amargo e cacau em pó: Bem-Estar, energia
  9. Chá verde: Bem-Estar, relaxamento
  10. Grão-de-bico: Bom-Humor, energia

 

Vamos conhecer os alimentos da felicidade 1 a 1 e o porquê dessa função:

1. Banana: A rainha das frutas pode ser considerada quase um alimento completo, já que, além das vitaminas é rica em carboidrato, ou seja, se em algum dia você precisar passar longas horas sem se alimentar (em uma maratona, em um dia de prova, …), a banana será sem dúvida um ótimo alimento, que garantirá energia extra.

A banana como alimento da felicidade

A banana é rica em triptofano, um aminoácido precursor da serotonina, o neurotransmissor do bom-humor. Leia mais sobre os benefícios da banana.

2. Abacate: A fruta é rica em vitamina B3 (niacinamida), a qual age no sistema nervoso central regulando substâncias químicas do cérebro promovendo um efeito relaxante no organismo. A vitamina B3 mais ácido fólico, atuam como coenzima (aceleram a ação) de neurotransmissores do bom humor. Apenas cuidado com o excesso de calorias do abacate.

3. Beterraba: Rica em magnésio, mineral que atua promovendo energia e aliviando o cansaço.

4. Peixes de água gelada: Salmão, atum e sardinha atuam na felicidade por aumentarem a produção dos receptores de alguns neurotransmissores, tais como: a serotonina, a noradrenalina e a dopamina. Isso por serem ricos em Ômega3 (veja mais fontes de Ômega3). É particularmente útil em casos de depressão e TPM.

5. Gérmen de trigo: A parte nobre do trigo contém todas as vitaminas do complexo B, por isso diminui o nervosismo e estresse, atuando então, como um calmante natural.

6. Ovos: Tanto a gema quanto a clara são ricas em vitamina B1 (tiamina), a qual ajuda o organismo a converter glicose em energia. Além disso, esta vitamina imita a acetilcolina, um neurotransmissor que atua nas funções cerebrais relacionadas com memória e cognição. Por carrear (levar) o Inositol (ou vitamina B7), o qual exerce papel no correto funcionamento de outros dois neurotransmissores serotonina e acetilcolina, por essa razão o inositol atua como calmante e antidepressivo. Atenção! Não coma mais de 4 gemas por semana, devido ao colesterol (lembre que massa de bolo leva ovos).

7. Chocolate amargo, 1/2 amargo e cacau em pó: Consumido com moderação esse alimento promove a sensação de bem-estar devido à ativação da liberação de serotonina, além de ser riquíssimo em flavonoides, substância antienvelhecimento e protetora dos vasos sanguíneos. Mas é importante comer apenas ‘1 quadradinho’ por dia.

8. Mel: Rico em triptofano assim como a banana. O mel tem, ainda a função de regenerador da flora bacteriana intestinal, atuando junto aos lactobacilos presentes naturalmente no intestino. E como mais de 90% de todo nosso aporte de serotonina é produzida no intestino, o mel colabora para a regulação neuro-endócrina na produção de serotonina, a substância do prazer.

9. Chá Verde: Rico em polifenóis, o chá verde protege os neurônios protege os neurônios, proporcionando a sensação de bem-estar. 2 Xícaras por dia já são suficientes

10. Grão-de-bico: Ótima fonte proteica vegetal, dentre elas o aminoácido triptofano precursor da serotonina. Rico em cálcio e magnésio, que, em equilíbrio atuam no metabolismo cerebral, prolongando a sensação de bem-estar e diminuindo o cansaço.

* Veganos podem substituir os ovos por arroz e cereais integrais.

Texto: Renata Fraia – Farmacêutica

 

Fonte: Saúde com Ciência

Especialistas listam os benefícios da semente de chia

Segundo Andréa Santa Rosa e Alfredo Cury, alimento aumenta saciedade, é repleto de antioxidantes e ajuda a controlar níveis de açúcar no sangue.

Sementes de chia (Foto: Getty Images)

Sementes de chia (Foto: Getty Images)

Quando se trata de alimentos milagrosos ou suplementos inovadores, já ouvimos de tudo: pólen de abelha, vinagre de maçã e até argila. Enquanto muitas dietas da moda vêm e vão embora, existem alguns alimentos menos conhecidos que podem trazer muitos benefícios à saúde, como é o caso das sementes de chia. Em apenas uma colher de sopa do alimento, é possível encontrar três vezes mais ferro do que no espinafre, cinco vezes o cálcio existente no leite, o dobro de potássio da banana, duas vezes mais proteína que qualquer outro grão ou semente e três vezes a quantidade de antioxidantes de blueberries.

Como se tudo isso já não bastasse, pedimos à nutricionista Andréa Santa Rosa, que atende famosas como Angélica, Fernanda Paes Leme, Giovanna Ewbank e Fiorella Mattheis, e ao endocrinologista Alfredo Cury para listarem os benefícios da semente de chia. Confira.

Melhora os níveis de açúcar no sangue
A chia melhora a atuação da insulina nas células, facilitando sua tarefa de converter o açúcar em energia e, consequentemente, ajudando no processo de emagrecimento. Essa proteína também estimula enzimas responsáveis pela degradação de triglicérides e de “colesterol ruim”, o LDL.

Ajuda a regular o apetite, melhora o sono e o humor
Por ser rica em fibras, ela traz mais saciedade. Quanto ao sono e o humor, há estudos que dizem que o ácido graxo ômega 3, presentes em sua composição, dão mais energia e, com isso, melhoram o sono e o humor.

Contribui para dentes e ossos mais saudáveis
Tem em sua composição alto teor de cálcio, magnésio, ferro e zinco, responsáveis por ossos e dentes mais saudáveis.

Pode ajudar na perda de peso
A ingestão da semente de chia é rica em fibras. No estômago, a semente se transforma em um gel, que preenche o espaço, diminuindo a fome. Com isso, a pessoa se sente saciada por mais tempo e consegue manter uma alimentação balanceada.

Corpo (Foto: Getty Images)

Alimento ajuda a dar sensação de saciedade e, de quebra, dá uma turbinada na dieta

É repleta de antioxidantes
A semente da chia possui em sua composição a presença do flavonoide kaempferol, além dos ácidos cafeico e clorogênico. Eles são fundamentais para evitar a formação de radicais livres no organismo.

Mais energia
As sementes da chia são calóricas e fornecem resistência e durabilidade. As fibras presentes na semente de chia dão mais saciedade e retardando a sensação de fome. Com isso, equilibram o teor de açúcar no sangue, garantindo energia e disposição ao longo do dia.

Melhor funcionamento do intestino e do metabolismo
É uma mucilaginosa, ou seja, rica em fibras solúveis e insolúveis. Estas auxiliam o trânsito intestinal, evitam a constipação e limpam o organismo. Além disso, a semente possui riboflavina, tiamina e niacina, conjunto de vitaminas do complexo B que atuam no metabolismo celular e contribuem para que todo o organismo funcione melhor.

Prevenção de doenças
Possuem alta concentração de ômega-3, auxiliando no bem estar do cérebro. Além disso, também funciona como anti-inflamatório e pode ajudar a combater a depressão, diabetes, obesidade e artrite.

 

Fonte: Ego

%d blogueiros gostam disto: