Conheça a cidade de Registro (SP)

História de Registro-SP

Registro (SP), sua História

Registro (SP), Município situado no Vale do Ribeira, surgiu como um pequeno povoado à margem do Rio Ribeira de Iguape. Na época, explorava-se ouro no Alto Ribeira que era transportado pelo rio até o porto de Iguape, porém antes de seguir à Iguape todas as mercadorias eram registradas por um agente de Portugal para cobrar o dízimo destinado à Coroa Portuguesa. Daí originou-se o nome Registro.

Bunkyo

Bunkyo

Ainda como povoado pertencente à Iguape, Registro começou a crescer à partir da chegada dos primeiros colonizadores japoneses, em 1913, sendo que neste período Registro era o maior produtor de arroz do Estado de São Paulo.

Monumento às Almas

Monumento às Almas

Somente em 30 de Novembro de 1944, pelo decreto lei nº 14.334, Registro emancipou-se de Iguape, tornando-se Município, cujas instalações deu-se em 1º de Janeiro de 1945.

Torii - Local onde desembarcaram os primeiros colonizadores Japoneses

Torii – Local onde desembarcaram os primeiros colonizadores Japoneses

Origem do Nome

Na época do Brasil Colônia, era conhecido como Porto Registro, por ser passagem obrigatória para registrar o ouro garimpado em Eldorado e Sete Barras, para posteriormente ser, por simplificação, chamado de Registro.

Templo Budista

Templo Budista

Registro tem início da sua história nos primórdios da colonização do Brasil. Com a notícia de que havia ouro no Vale do Ribeira de Iguape, passou a receber aventureiros, piratas e expedições oficiais da coroa. As terras que margeavam o Ribeira eram as preferidas pelos forasteiros para suas acomodações.

Dizem que em muitos trechos não era preciso nem mesmo o garimpo, era só recolher as pepitas que cobriam as margens dos rios. Depois de passar alguns dias as jazidas, os exploradores desciam o rio para pesar e vender o metal. Com o aumento daquele movimento, as autoridades sentiram necessidade de um controle.

Praça Nakatsugawa

Praça Nakatsugawa

Foi montado, então, um porto de fiscalização onde todos eram obrigados a para. Ali recolhia-se o quinto, ou seja, a parte do ouro que cabia à coroa de Portugal. Surgiu então o Porto de Registro de Ouro, com oficial mor mandado pela coroa no comando, e rapidamente um povoado foi se criando ao seu redor. Muita riqueza passou por ali e deixou o seu rastro a caminho de Iguape onde o ouro era fundido e vendido. Mas, já no século XVIII o ouro se escassa espantando os forasteiros para os lados das Minas Gerais.

Igreja Matriz

Igreja Matriz

A casa do fisco é fechado e o Porto de Registro, já conhecido como Registro passou a ser apenas mais um povoado à margem do Rio Ribeira. Quando ainda pertencia a Iguape, em 1913, Registro começou a crescer com a chegada dos primeiros imigrantes japoneses. Nesse mesmo ano era criada em Tóquio a Kaigai Kogyo Kabushiki Kaisha (companhia ultramarina de Implementos S.A.  “a sigla K.K.K.K” , com a missão de apoiar os japoneses que partiam para o Vale do Ribeira. A K.K.K.K foi autorizada a funcionar no Brasil pelo decreto 13.325, de 11 de dezembro de 1918.

KKKK em Registro-SP

Quatro anos mais tarde inaugurava suas instalações em Registro: um bloco de quatro armazéns, com mais de dois mil metros quadrados de área, construído à margem do rio, no estilo arquitetônico da primeira década deste século. Tombado pelo Condephaat em 1987, o prédio da KKKK foi adquirido pela Prefeitura de Registro em 1990 e é patrimônio histórico da cidade. Com a sua instalação no Brasil, a KKKK recebeu do governo brasileiro a doação de 16 mil hectares de terra devolutas para distribuir aos imigrantes japoneses e adquiriu, com recursos próprios, outros mil hectares para o mesmo fim. Os imigrantes vinham alimentando o sonho de enriquecimento fácil, mas a realidade encontrada era bem diferente.

Praça Japonesa Nakatsugawa

Praça Japonesa Nakatsugawa

As terras que receberam era de baixa fertilidade e exigiam muito trabalho. Ao lado disso, com o início da 2º Guerra, os colonos japoneses tiveram suas atividades restringidas no Brasil e o trabalho da KKKK, que os apoiava, foi impedido pelo governo brasileiro. Com todas essas dificuldades os japoneses conseguiram fazer a terra frutificar, abriram estradas e promoveram o desenvolvimento da região. No começo, foram testadas várias culturas como o arroz, café, cana-de-açúcar, laranja, feijão, fumo, abacaxi, junco, criou-se bicho-da-seda. No entanto, foram a banana e o chá preto que melhor se adaptaram às condições da região.

Garacuí, monumento de Tomie Ohtake

Garacuí, monumento de Tomie Ohtake

Praça Japonesa Nakatsugawa

Praça Japonesa Nakatsugawa

Rio Ribeira

Rio Ribeira

Biblioteca Municipal

Biblioteca Municipal

 
Fonte: O Vale do Ribeira

Anúncios

Publicado em 15 de dezembro de 2014, em Cultura, Curiosidades, História, Turismo e marcado como , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: