Arquivo mensal: outubro 2013

Dia do Saci: entenda a origem da resposta brasileira ao Halloween

(Imagem: Reprodução)

(Imagem: Reprodução)

Esqueça o Halloween: hoje, 31 de outubro, é Dia do Saci. Isso. Do saci.

A data comemorativa foi criada há menos de uma década para exaltar o folclore brasileiro, em oposição ao feriado do Dia das Bruxas, festejado nos Estados Unidos e em outros países de língua inglesa. A ideia é chamar atenção para as lendas nacionais que são pouco difundidas nos dias de hoje. Existe até uma organização sobre o tema, a Sociedade dos Amigos do Saci (Sosaci), que tem 1.100 integrantes.

Claro, a festividade não é para ser levada tão a sério. O grupo nasceu em 2003 entre pessoas que estudam o saci e outros mitos. Alguns associados, aliás, juram ter visto a criatura. Naquele mesmo ano, dois projetos de lei de autoria de Ângela Guadagnin e Aldo Rebelo foram propostos para instituir o Dia do Saci no calendário oficial, mas ficaram arquivados.

saci

O Estado de São Paulo, no entanto, oficializou a data com a Lei nº 11.669, de 13 de janeiro de 2004, e outros dez municípios fizeram o mesmo: São Paulo, São Luiz do Paraitinga, São José do Rio Preto, Guaratinguetá e Embu das Artes (SP); Vitória (ES); Poços de Caldas e Uberaba (MG); e Fortaleza e Independência (CE).

Nas redes sociais, a data já parece ter “colado”. O saci entrou na lista de assuntos mais comentados do Twitter. Junto com o Halloween, claro.

E então? O Dia do Saci veio mesmo para ficar?

 

Fonte: Veja São Paulo

Facebook quer vigiar até o movimento do mouse

(Foto: Reprodução)

O Facebook já analisa o que o usuário escreve, curte e clica na rede social. Não satisfeito, agora o serviço estudará até mesmo os movimentos realizados com o mouse (ou trackpad) para entender o comportamento das pessoas.

As informações geradas a partir de cada movimento, assim como o tempo que o usuário mantiver o cursor parado em determinada região, serão utilizadas para customizar anúncios publicitários e “melhorar a experiência de uso” no site, argumenta a empresa.

A novidade foi anunciada por Ken Rudin, chefe de análise do Facebook, ao The Wall Street Journal. O veículo nota que a prática não é muito comum, por isso, a rede ainda testa a eficácia do formato para saber se deverá adotá-lo em larga escala ou não.

Fonte: Olhar Digital

A origem do Halloween

halloween-picture

Dia das Bruxas (Halloween é o nome original na língua inglesa) é um evento tradicional e cultural, que ocorre nos países anglo-saxônicos, com especial relevância nos Estados Unidos, Canadá, Irlanda e Reino Unido, tendo como base e origem as celebrações dos antigos povos, sendo que não existe ao certo referências precisas de onde surgiram essas celebrações.

A palavra Halloween tem origem na Igreja católica. Vem de uma tradição contraída do dia 1 de novembro, o Dia de Todos os Santos, é um dia católico de observância em honra de santos. Mas, no século V DC, na Irlanda Céltica, o verão oficialmente se concluía em 31 de outubro. O feriado era Samhain, o Ano novo Céltico.  Alguns bruxos acreditam que a origem do nome vem da palavra hallowinas – nome dado às guardiãs femininas do saber oculto das terras do norte (Escandinávia).

Mas os estudiosos dizem que a palavra Halloween surgiu da seguinte forma:

O nome é, na realidade, uma versão encurtada de “All Hallows’ Even”(Noite de Todos os Santos), a véspera do Dia de Todos os Santos (All Hallows’ Day).  “Hallow” é uma palavra do inglês antigo para “pessoa santa” e o dia de todas as “pessoas santas” é apenas um outro nome para Dia de Todos os Santos, o dia em que os católicos homenageiam todos os santos. Com o tempo, as pessoas passaram a se referir à Noite de Todos os Santos, “All Hallows’ Even”, como “Hallowe’en”, e mais tarde simplesmente “Halloween“.

O Halloween marca o fim oficial do verão e o início do ano-novo. Celebra também o final da terceira e última colheita do ano, o início do armazenamento de provisões para o inverno, o início do período de retorno dos rebanhos do pasto e a renovação de suas leis.

Era uma festa com vários nomes: Samhain (fim de verão), Samhein, La Samon, ou ainda, Festa do Sol. Mas o que ficou mesmo foi o escocês Hallowe’en.  Uma das lendas de origem celta fala que os espíritos de todos que morreram ao longo daquele ano voltariam à procura de corpos vivos para possuir e usar pelo próximo ano. Os celtas acreditavam ser a única chance de vida após a morte. Os celtas acreditaram em todas as leis de espaço e tempo, o que permitia que o mundo dos espíritos se misturassem com o dos vivos.

Como os vivos não queriam ser possuídos, na noite do dia 31 de outubro, apagavam as tochas e fogueiras de suas casa, para que elas se tornassem frias e desagradáveis, colocavam fantasias e ruidosamente desfilavam em torno do bairro, sendo tão destrutivos quanto possível, a fim de assustar os que procuravam corpos para possuir, (Panati).  Os Romanos adotaram as práticas célticas, mas no primeiro século depois de Cristo, eles as abandonaram. O Halloween foi levado para os Estados Unidos em 1840, por imigrantes irlandeses que fugiam da fome pela qual seu país passava e passou ser conhecido como o “Dia das Bruxas”.

Travessuras ou Gostosuras? (Trick-or-treat)

A brincadeira de “doces ou travessuras” é originária de um costume europeu do século IX, chamado de “souling” (almejar). No dia 2 de novembro, Dia de Todas as Almas (ou Finados aqui no Brasil), os cristãos iam de vila em vila pedindo “soul cakes” (bolos de alma), que eram feitos de pequenos quadrados de pão com groselha.  Para cada bolo que ganhasse, a pessoa deveria fazer uma oração por um parente morto do doador. Acreditava-se que as almas permaneciam no limbo por um certo tempo após sua morte e que as orações ajudavam-na a ir para o céu.

Fonte: Além da Imaginação

Nos EUA, mulheres amputam o dedinho do pé para poder usar salto sem desconforto

Nova moda entre mulheres dos EUA é mutilar o próprio pé para usar o sapato sem aquela sensação de desconforto

“Se você nunca sentiu essa dor, nem se dê ao trabalho de julgar”. Esse é o argumento de Susan // Crédito: Reprodução

“Se você nunca sentiu essa dor, nem se dê ao trabalho de julgar”. Esse é o argumento de Susan // Crédito: Reprodução

Muitas mulheres nutrem uma verdadeira obsessão por sapatos – e o salto alto costuma ser o fetiche definitivo. Com ele, as mulheres chamam atenção do sexo oposto, despertam a inveja nas semelhantes e se sentem elegantes. Só tem um probleminha: dói e dói bastante. Como conciliar a beleza com a dor?

Uma cirurgia plástica em uma parte do corpo que fica escondida quase o tempo todo parece coisa de maluco, mas a mulherada dos EUA vem curtindo a ideia. São 3 os procedimentos mais procurados: retirar o dedinho, diminuir o tamanho de algum dedo ou injetar colágeno na parte da sola do pé perto dos dedos, na tentativa de deixar a sola mais acolchoada e ter um fim de dia menos dolorido.

De acordo com a Associação Americana De Podologia Médica, cerca de 87% das mulheres do país sofrem algum problema no pé por causa de calçados desconfortáveis. Susan Deming (foto acima) não é exceção – amante dos sapatos, ela sempre teve muitos calos no pé esquerdo, isso por que alguns dedos eram maiores que os outros. A solução foi tirar um centímetro do que seria o dedo indicador no pé. Ainda em processo de recuperação, ela não vê a hora de poder caminhar normalmente – e correr pro shopping.

 

Fonte: Revista Galileu

Onde estão os braços da Vênus de Milo?

venus-de-milo

Ninguém sabe. As teorias são tão controversas que o jornalista americano Gregory Curtis passou dois anos entre Paris e a ilha de Milo, na Grécia, em busca de todos os detalhes do paradeiro dos braços da estátua, encontrada em 1820. “Um dos primeiros documentos que li dizia que os braços teriam sido arrancados durante uma batalha entre os moradores locais e marinheiros franceses”, conta Curtis. “Não demorou muito para que descobrisse que as batalhas eram pura fantasia.”

Para ele – que é autor do livro Disarmed: the Story of the Venus de Milo (em português, a tradução seria algo como “Sem Braços: a História da Vênus de Milo”) – a Vênus já estava sem braços quando foi encontrada. A explicação mais provável diz que um grupo de marinheiros franceses, cujo navio estava atracado no porto de Milo, uniu-se a camponeses locais em busca de restos arqueológicos nas ruínas de uma civilização antiga. Enquanto os camponeses buscavam pedaços de mármore para usar na construção civil, os franceses procuravam algo com algum valor histórico. Foi então que um tal Yorgos, camponês local, desenterrou a estátua, separada em dois pedaços na altura da cintura, e já sem os braços. Um dos marinheiros, Olivier Voutier, percebeu que estava diante de algo excepcional e convenceu seu superior, o marquês de Rivière, a comprá-la. Depois de algumas idas e vindas, uma das esculturas mais famosas de todos os tempos foi negociada pelo valor de meia dúzia de cabras. A Vênus embarcou, aos pedaços, em direção a Paris e foi remontada pelos restauradores do Museu do Louvre, onde ela está até hoje.

Mutilação artística

Saiba onde foram parar pedaços de outras obras famosas:

Cabeça e braços da Vitória de Samotrácia
Teoria mais maluca: Esculpida para comemorar o triunfo dos gregos em batalhas náuticas, foi “linchada” e jogada ao mar pelos romanos, quando eles conquistaram a Grécia.
Teoria mais provável: Teria sido destruída em um terremoto por volta do século 6. Foi encontrada pelo arqueólogo francês Charles Champoiseau, partida em 118 cacos, em 1863.

Nariz da Esfinge
Teoria mais maluca: Durante sua passagem pelo Egito, entre 1798 e 1801, Napoleão usou balas de canhão para praticar tiro ao alvo contra o nariz da esfinge.
Teoria mais provável: Exposta a ventos carregados de areia do deserto e com problemas de infiltração, a esfinge teria perdido o nariz aos poucos.

Uma das pernas de Jesus na Pietà
Teoria mais maluca: Ao terminar a obra, Michelangelo percebeu que a perna de Jesus estava entrelaçada com a de Maria, ficou chocado com a conotação pecaminosa e destruiu parte da estátua.
Teoria mais provável: A peça de mármore escolhida estava repleta de impurezas. Em certo momento, o pedaço da escultura não resistiu à pressão e quebrou.

 
Fonte: Super Interessante

Comercial da Honda usa ilusão de ótica para apresentar novo CR-V 2014

Fotos de girafas invadem o Facebook; entenda o motivo

size_590_girafa

Você viu uma foto de girafa no perfil de um amigo e não entendeu nada? Nós explicamos para você o motivo dessa brincadeira.

O vlogger neozelandês Andrew Strugnell lançou um desafio aos internautas. Eles precisam responder a seguinte charada:

“São 3 da manhã, alguém bate na porta da frente e você acorda. Visitas inesperadas: são seus pais e eles querem café da manhã. Você tem geleia de morango, mel, vinho, pão e queijo. Qual a primeira coisa que você abre?”

O usuário deve enviar a resposta no site do desafio. Se você acertar o enigma, parabéns. Agora, se errar terá que alterar a foto de perfil para uma girafa nos próximos três dias.

Como o perfil do Facebook é gringo, envie sua resposta em inglês. E você, sabe a resposta?

Conheça o restaurante que só tem mesa para quem quer comer sozinho

Reprodução

Reprodução

Esqueça as piadas com o pessoal do escritório na hora do almoço. Ou o clima de flerte dos casais entre um copo e outro de vinho. Aberto no final de junho em Amsterdam, na Holanda, o Eenmaal é talvez o mais silencioso dos restaurantes europeus, quiça do mundo inteiro. Lá, não existe espaço para grupos de amigos, nem mesmo para namorados ou marido e mulher. Todas as mesas são individuais. Segundo os empreendedores, o conceito foi concebido para promover uma atmosfera de calma, em contraste flagrante ao burburinho das casas tradicionais.

O negócio foi desenvolvido pela designer holandesa  Marina van Goor em parceria com a agência Vandejong. “É o lugar perfeito para jantar sozinho de forma agradável, ter uma experiência nova, e atraente para quem já gosta de comer sozinho”, diz a Marina.

O site Springwise informa que operação da casa será por tempo limitado, mas não revela até quando o restaurante vai funcionar. Por enquanto, o estabelecimento foi capaz de atrair viajantes solitários, pessoas que não gostam de socializar enquanto comem e outros que simplesmente queriam ter uma experiência diferente.

Diferenciais também estão no serviço que o Eenmaal oferece. Para curtir a solidão enquanto come, o cliente paga 25 euros para desfrutar uma refeição com quatro tipos de pratos e bebidas.

Embora seja uma experiência, o site destaca que esse modelo de negócio pode possibilitar uma  rotatividade maior de clientes, sendo que sem ter com que conversar o tempo de permanência no salão pode ser menor, comparando com outros restaurantes.

Outro benefício possível por meio desse modelo de trabalho seria ter um compromisso com o cliente mais focado em comida, no sentido de preparar o cardápio a partir de recomendações recebidas.

Fonte: Estadão

6 casos de pessoas criadas por animais

641542222001225865

Você já deve ter lido algo sobre a lenda mitológica de Rômulo e Remo. Os gêmeos, fruto da união de Reia e do deus Marte, foram aprisionados por inimigos do casal e jogados no Rio Tibre em uma cesta, que foi parar nas margens do local, onde uma loba os encontrou. O animal, então, cuidou das crianças por um tempo, amamentando-as até que elas foram encontradas pelo pastor Fáustulo.

O mito é muito famoso, mas você sabia que, na vida real, muitas crianças já foram parar na selva e acabaram sendo criadas por animais?

Um caso bem conhecido é da britânica Marina Chapman, que foi sequestrada quando morava na Colômbia com os seus pais e deixada na floresta à mercê da própria sorte. Ela passou a conviver com um grupo de macacos, que a ajudou a sobreviver. Confira abaixo a história de Marina e outras cinco crianças que passaram por essas experiências.

1 – Marina Chapman

6415422222815419-t640

Depois de passar por maus bocados na vida, a britânica Marina Chapman sempre teve uma ótima história para contar a fim de fazer as suas duas filhas dormirem: ela falava sobre como foi crescer na selva. Mas nada disso é conto de fadas, pois a mulher realmente passou por essa situação.

Em 1954, quando tinha cinco anos de idade, Marina vivia na Colômbia com os seus pais e foi sequestrada. Os seus sequestradores receberam o resgate, mas, de forma covarde, deixaram a menina abandonada na floresta em vez de devolvê-la aos seus familiares. No meio da selva, a pequena garota foi acolhida por um grupo de macacos-prego e, como um instinto de sobrevivência, passou a copiá-los na forma de se alimentar e agir, além de inclusive imitar a linguagem deles.

Assim, ela conseguiu sobreviver e viver com os macacos por cinco anos, até que foi encontrada por caçadores. Mas essa ainda não era a salvação de Marina, pois ela foi vendida por eles para um bordel, de onde conseguiu escapar tempos depois para viver nas ruas. A história da menina que foi criada por macacos está no livro autobiográfico “The Girl With No Name” (A Menina Sem Nome, em tradução livre), que está disponível no Brasil, porém ainda sem versão traduzida para o português.

2 – Sasha T

6415422222815427-t640

Em junho de 2012, alguns assistentes sociais da Rússia descobriram uma criança de dois anos de idade que era mantida trancada em um quarto com cabras por sua mãe. O menino brincava e dormia com as cabras, porém a alimentação era extremamente precária e difícil. Afinal, o menino e os animais estavam dentro de um cômodo fechado, sujo e frio.

Por essa razão, quando a criança foi encontrada — com uma taxa de desnutrição extrema —, ela pesava um terço a menos do que um indivíduo normal de sua idade. Sasha não sabia nem ao menos balbuciar alguma palavra e agia como as cabras com as quais vivia.

No momento de seu resgate, a sua mãe havia desaparecido e os assistentes sociais o levaram imediatamente ao hospital para tratar o seu quadro alimentar. Os médicos têm tentado adaptar o menino para a vida com os humanos, porém estão tendo dificuldades.

Natalya Simonina, uma das especialistas que estava nesse processo, disse: “Ele se recusou a dormir no berço. Ele tentou ficar embaixo dele e dormir lá. Ele tem muito medo de adultos e tentou quebrar tudo o que via, como janelas e móveis. Ele não sabe falar ou segurar uma colher e não tinha ideia do que fazer com os brinquedos, nem sequer tentar brincar com eles”.

3 – Natasha

64154222228154243-t640

Em 2009, os assistentes sociais e de bem-estar de uma cidade da região siberiana, também na Rússia, encontraram em um apartamento sem aquecimento uma menina de cinco anos de idade, que passaram a chamar de “Natasha”.

Embora tecnicamente ela vivesse com seu pai e outros parentes, Natasha sempre foi tratada como um dos muitos cães e gatos que compartilhavam o espaço. Como seus companheiros peludos, Natasha “fuçava” as comidas deixadas em tigelas no chão.

Ela mal sabia as palavras da linguagem humana e só se comunicava com assobios e latidos. O pai de Natasha já estava bem longe quando a menina foi resgatada e colocada sob cuidados em um orfanato. Apesar de desnutrida e pequena para a sua idade, a menina estava relativamente bem de saúde.

4 – 8 gatos selvagens e um bebê

64154222228154727-t640

Em 2008, a polícia argentina descobriu um menino abandonado de um ano de idade cercado por oito gatos selvagens. Os gatos, supostamente, mantiveram o menino vivo durante as noites geladas de inverno, aninhando-se em cima dele para aquecê-lo. O pequeno garotinho também foi visto comendo restos de comida, que foram provavelmente empilhados pelos seus companheiros animais.

A policial Alicia Lorena foi quem descobriu a criança perto de um canal e disse: “Eu estava caminhando e notei um bando de gatos sentados, todos muito juntos. Não é comum ver tantos assim. Então fui olhar mais de perto e vi o menino deitado no fundo de uma sarjeta. Todos os gatos estavam em cima dele, lambendo a criança, porque ele estava muito sujo”.

O menino é filho de um sem-teto, que foi encontrado e afirmou que o “perdeu” enquanto catava objetos para vender.

5 – O menino-cão

64154222228154753-t640

Um garoto chileno de 10 anos de idade foi encontrado em 2001, quando vivia em uma caverna com uma matilha de cães por dois anos. O menino já tinha uma vida difícil antes dessa “aventura” selvagem, pois já havia sobrevivido a uma infância difícil e instável, tendo sido abandonado por seus pais e, em seguida, fugido de casas de cuidados infantis.

Quando se viu finalmente sozinho, aos oito anos, o menino buscou refúgio em uma matilha de cães, que o ajudou a procurar comida e até mesmo o protegeu. As autoridades disseram que o menino, depois identificado como Axel Rivas, pode até mesmo ter sido alimentado com o leite de uma das fêmeas da matilha. Quando foi encontrado, ele não falava, estava agressivo e depressivo.

6 – Criadas por lobos

64154222228154847-t640

Um dos casos mais bem documentados de crianças criadas por animais selvagens é o de Kamala e Amala, mais conhecidas como as “meninas-lobo”. Descobertas em 1920 nas selvas do Godamuri, na Índia, as meninas — com idades entre três e sete anos — viviam com uma loba e seu bando.

Não se sabe se as garotas eram da mesma família, mas o homem (um reverendo) que as encontrou as levou para seu orfanato, tentando adaptá-las aos costumes humanos. Apesar de elas terem feito alguns progressos ao longo dos anos, ambas adoeceram com males fatais, deixando o reverendo a se perguntar se foi realmente certo ele retirar as meninas do meio em que viviam.

 

Fonte: Megacurioso

23 ideias sensacionais que fariam da sua casa um local bem melhor

Pensando em dar um toque especial na reforma da casa? Que tal não ser usual, fugir do óbvio? Confira algumas ideias incomuns de decoração para o lar, mas que produzem um resultado fantástico.

1- Lustre que transforma seu quarto numa floresta

 

4jvj

2- Piscina interna e externa

bz27

3- Conjunto de mesa com cadeiras de balanço

f7wn

4- Uma rede-cama bem confortável como essa

xe1o

5- Mesa fogueira

ideias-casa-5

6- Essa cama aquário

a2ks

7- Um caminho para o seu gato

48tj

kgir

8- Armazenamento de bebidas em espiral

ygz0

xq2a

9- Prateleira de livros em escada! Não é brilhante? Agora você alcança todos!

f6x7

10- Essa porta

pu4z

11- Esse banheiro de dar medo em qualquer um

uahn

 

12- Esta piscina para você entrar andando normalmente

rn75

13- Uma piscina transparente

40pt

14- Areia de praia embaixo do seu escritório

vs1n

gi6m

15- Debaixo da escada costuma ser um local inútil, então que tal fazer um armário como esse?

l3og

16- Escritório no Jardim

wnxz

17- Essa banheira transparente

icva

18- As escadas mais divertidas!

mrp4

19- Mesa de jantar e de sinuca. 2 em 1!

hv4w

wloy

20- Casa de árvore no quarto do seu filho (ou no seu :P )

c904

21- Cinema ao ar livre

xxc8

22- Rede de leitura e estudo acima da escada!

9gpo

kq8s

23- E essa incrível porta/mesa de Ping Pong!

yd3p

brhi

Qual você mais gostou?

 

 

%d blogueiros gostam disto: